Conselheiro de Bush diz que ataque ao Irã causaria desordem

O conselheiro militar da CasaBranca, almirante Mike Mullen, disse neste domingo que estápreocupado que qualquer ataque ao Irã resulte em um risco demais desordem no Oriente Médio. "Acho que seria significativo. Eu me preocupo muito comisso", disse Mullen, chefe do comando conjunto das ForçasArmadas, a um noticiário da TV Fox News Autoridades dos EUA têm minimizado os temores de um ataquemilitar contra o Irã por causa de seu programa nuclear, que ogoverno iraniano diz ter objetivos pacíficos. Mas Israel temeque o Irã esteja procurando construir armas atômicas. Aespeculação de que Israel iria bombardear instalações nuclearesiranianas aumentou desde que os militares israelensesrealizaram um grande exercício aéreo no mês passado. "Eu me preocupo com instabilidade naquela parte do mundoe... consequências possíveis não intencionais decorrentes de umataque como esse", disse Mullen. O almirante disse que seria difícil prever o impacto (doataque) na região ou que ações os EUA teriam de tomar paracontê-lo. "Atualmente eu estou combatendo duas guerras e não precisode uma terceira", disse Mullen, falando do engajamento militardos EUA no Afeganistão e Iraque. Mas ele rapidamenteacrescentou que os militares dos EUA seriam capazes de conduziruma nova frente. Em contrapartida, Mullen acrescentou que o risco de nãofazer nada também é grande. "É um problema muito, muito árduo", disse Mullen. "Mas énesse ponto que eu penso que esta comunidade internacional esua pressão têm de continuar especificamente sobre o Irã paraque não prossiga nesse caminho." O Irã pode sofrer novas sanções depois que as conversaçõessobre seu programa nuclear terminaram em impasse no sábado,apesar da participação dos EUA nas reuniões, sem precedentes,já que os dois países não têm relações diplomáticas. Mullen disse acreditar que os iranianos pretendem construirarmas nucleares. "Temos de descobrir um meio de garantir queisso não aconteça", disse ele. (Reportagem de Doina Chiacu)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.