Construção de arranha-céu próximo ameaça hegemonia do Empire State

Segundo administradores, edifício de 67 andares próximo ao Empire ofuscaria símbolo de NY

REUTERS

23 de agosto de 2010 | 15h19

Projeção da construtora mostra o edifício 15 Penn Plaza (dourado) próximo ao Empire State (azul)  

 

NOVA YORK- Um novo arranha-céu em Nova York poderia atrapalhar a vista do Empire State Building e ofuscar o símbolo da cidade, disseram administradores do edifício nesta segunda-feira, 23, durante reunião do conselho municipal.

O edifício "15 Penn Plaza", de 67 andares, proposto pela Vornado Realty Trust, seria construído a dois quarteirões e quase com a mesma altura do marco da cidade, que permaneceu de modo geral sem obstáculos no centro de Manhattan desde sua construção, em 1931.

"A questão não é a proibição de edifícios altos, mas a preservação da característica única da paisagem de Nova York", assinalou um comunicado do Empire State Building. "O Empire State Building é a construção definitiva da paisagem da cidade e é o único marco importante."

A nova construção seria aceitável se fosse mais baixa e com maior recuo, dizem administradores do Empire State.

A Vornado disse que o edifício foi projetado para ser um acréscimo respeitoso ao bairro e afirmou ainda que a construção traria melhorias de transporte, inclusive uma passagem ligando a estação ferroviária Penn Station aos metrôs e trens de subúrbio, novas entradas de metrôs e uma plataforma expandida para os metrôs.

O Conselho Municipal de Nova York programou duas audiências sobre o projeto nesta segunda-feira, mas não deve votar imediatamente.

O Penn Plaza teria 393 metros de altura, ultrapassando por pouco a estrutura principal do Empire State Building, que tem 391 metros de altura.

Com a antena, o Empire State Building, de 102 andares, chega a um total de 443 metros.

(Reportagem Edith Honan)

Tudo o que sabemos sobre:
Empire StateNYEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.