Continuam preparativos para 'matar' poço da BP, diz governo

A BP ainda tem mais testes a fazer antes de conseguir "matar" totalmente o poço danificado no Golfo do México, informou nesta quarta-feira a principal autoridade norte-americana envolvida na operação.

KRISTEN HAYS, REUTERS

18 de agosto de 2010 | 19h54

O almirante reformado Thad Allen não quis citar prazos para as próximas etapas, mas disse que a interrupção definitiva ficará provavelmente para final de agosto ou começo de setembro.

"Não é nada além de um excesso de cautela e de sermos responsáveis e fazer nosso trabalho", disse Allen, explicando que a BP esvaziará seus equipamentos no leito marinho e os encherá com água do mar para testes de pressão.

"Esse será um dos últimos sinais vitais que precisamos para determinar como ir adiante", acrescentou.

O poço Macondo já foi vedado há mais de um mês. Quase duas semanas atrás, a BP injetou lama e cimento pela boca do poço, para tampá-lo. Agora, a empresa está terminando de construir uma galeria auxiliar, pela qual despejará mais lama e cimento diretamente no reservatório de petróleo, "matando" definitivamente o poço Macondo.

Mas técnicos da BP e do governo acreditam que, por causa da cimentação, até mil barris (800 mil litros) de petróleo tenham ficado retidos entre o duto do poço e as paredes de rocha ao seu redor.

Os testes servirão para determinar se, injetando o cimento por baixo, o petróleo não vazará por cima, nem danificará uma válvula, que é crucial para as investigações sobre as razões do vazamento, que começou no dia 20 de abril.

Allen disse que os funcionários podem instalar um sistema de escape no equipamento do leito marinho, ou substituir a válvula danificada por outra, antes de retomar a perfuração da galeria auxiliar.

O próximo teste de pressão deve ajudar os técnicos a se decidirem entre as alternativas, de acordo com Allen. "Será tudo baseado nas condições, e não posso lhes dizer quantos dias isso levará", afirmou Allen. "Vamos dizer quando estivermos confortáveis de continuar."

Tudo o que sabemos sobre:
EUABPVAZAMENTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.