Controlador aéreo é afastado após acidente sob Rio Hudson

Operado estava em uma ligação particular no momento em que um avião e um helicóptero colidiram

Agência Estado e Associated Press,

14 de agosto de 2009 | 15h19

O controlador de tráfego que estava fazendo uma ligação telefônica pessoal quando um pequeno avião e um helicóptero colidiram sobre o rio Hudson, em Nova York, foi afastado de suas funções, juntamente com seu supervisor, que estava fora do prédio quando o acidente aconteceu.

 

A Administração Federal de Aviação (FAA, pela sigla em inglês) disse em comunicado na quinta-feira que o controlador do aeroporto de Teterboro, em Nova Jersey, e seu supervisor foram colocados sob suspensão administrativa depois que se descobriu que o controlador estava envolvido em "conversas aparentemente inapropriadas" no momento em que um pequeno avião e um helicóptero se chocaram, matando nove pessoas.

 

A agência informou que embora não haja razão para acreditar que a atitude do funcionário tenha contribuído para o acidente, tal "conduta é inaceitável". O controlador havia transferido a monitoração da pequena aeronave envolvida no acidente para outro aeroporto pouco antes da colisão com o helicóptero de turismo.

 

Os dois funcionários, que não foram identificados, foram colocados sob suspensão administrativa, mas continuam a receber seus salários. A FAA disse que já iniciou os procedimentos disciplinares contra os dois.

 

Três integrantes de uma família da Pensilvânia que estavam no avião e cinco turistas italianos, além do piloto do helicóptero, morreram quando as duas aeronaves chocaram-se e caíram no rio.

 

O FAA informou que o supervisor não estava no prédio do aeroporto no momento do incidente. O controlador havia dado permissão para o pequeno avião, um monomotor Piper, decolar e então fez uma ligação telefônica pessoal para uma mulher, disseram fontes familiares com a investigação, sob condição de anonimato.

 

Ainda falando ao telefone, o controlador transferiu o Piper para a torre de controle do aeroporto internacional Newark Liberty, que monitora o tráfego aéreo baixo sobre o rio Hudson. O controlador ainda estava ao telefone quando o acidente ocorreu. A sequência de eventos durou apenas poucos minutos.

 

Investigadores do Conselho Nacional de Segurança nos Transportes e do FAA descobriram a conversação ao telefone no início desta semana quando examinavam os registros de chamadas telefônicas por uma linha da torre que os controladores usam para se comunicar com outras partes do aeroporto de Teterboro. O funcionário fez sua ligação usando esta linha telefônica. O controlador e seu supervisor foram afastados do trabalho imediatamente.

 

Espera-se que os controladores de tráfego aéreo estejam alertas o tempo todo durante o trabalho e geralmente têm cerca de 15 minutos de intervalo a cada duas horas por essa razão.

 

A Associação Nacional dos Controladores de Tráfego Aéreo, o sindicato que representa a categoria, disse em comunicado que apoia uma ampla investigação das acusações "antes que seja feito um julgamento apressado".

 

Um vídeo amador feito no momento do impacto entre as duas aeronaves foi mostrado na televisão. As imagens, feitas por um italiano que fazia testes com sua nova câmera durante um passeio de barco, mostram o helicóptero voando quando subitamente um monomotor aparece atrás dele, aparentemente subindo e girando. O avião atinge as hélices do helicóptero e uma asa cai. As duas aeronaves caem na água.

Tudo o que sabemos sobre:
acidenteaviaçãoEUAavião

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.