Cooperação iraniana poderia levar a alívio das sanções, diz Hillary

A secretária norte-americana de Estado, Hillary Clinton, reafirmou nesta quarta-feira a possibilidade de um rápido alívio nas sanções ao Irã caso o país coopere para esclarecer as suspeitas que envolvem seu programa nuclear.

Reuters

03 de outubro de 2012 | 17h55

Falando a jornalistas sobre os protestos no Irã por causa da maxidesvalorização do rial, que perdeu 40 por cento do seu valor frente ao dólar em uma semana, Hillary culpou o governo iraniano --e não as sanções ocidentais-- pelos problemas financeiros.

Os Estados Unidos e seus aliados acusam o Irã de usar o seu programa nuclear para desenvolver armas atômicas secretamente e impõem sanções cada vez mais duras ao país. O Irã insiste no caráter pacífico das suas atividades.

Em pânico com as desvalorizações, que afetam o poder de consumo e ameaçam empregos, os iranianos correram para trocar o dinheiro local por moedas fortes.

"Eles tomaram suas próprias decisões de governo, nada tendo a ver com as sanções, e isso teve um impacto sobre as condições econômicas dentro do país", disse Hillary a jornalistas.

"É claro que as sanções também tiveram um impacto, mas eles podem ser remediados em curto prazo se o governo iraniano estiver disposto a trabalhar com ... a comunidade internacional de maneira sincera."

(Reportagem de Arshad Mohammed)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAIRASANCOES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.