CORREÇÃO-Equipes de resgate buscam vítimas de explosão no Texas

Equipes de resgate vasculhavam nesta quinta-feira os destroços de uma fábrica de fertilizantes em busca de sobreviventes, após uma grande explosão que matou até 15 pessoas e deixou 160 feridos numa pequena cidade do Texas.

(RETIRA DO 4º, Reuters

19 de abril de 2013 | 11h44

Três ou quatro bombeiros voluntários estão entre os desaparecidos após a explosão, ocorrida na quarta-feira à noite, disse o sargento William Patrick Swanton, da polícia do Texas.

A estimativa inicial da polícia é de cinco a 15 mortos, mas autoridades disseram que o número pode subir com a continuidade das buscas.

Um incêndio começou na fábrica antes da explosão na cidade de West, uma localidade com 2,7 mil pessoas a aproximadamente 32 km ao norte de Waco e 130 km ao sul de Dallas.

A testemunha Kevin Smith disse à CBS News que ele tinha acabado de subir as escadas para o segundo andar de sua casa, quando sentiu a explosão.

"A casa explodiu. Foi apenas um clarão e um estrondo, pensei que fosse um raio atingindo a casa", disse Smith. "Voei pelos ares por cerca de 10 metros e levei um ou dois segundos para perceber que o telhado tinha desabado sobre mim, então eu soube que não era um raio".

A chuva caía e ventos sopravam a 35 km/h nesta quinta-feira de manhã, condições que podem complicar o esforço de recuperação do local.

"Eu nunca vi nada como isso", disse o xerife do condado de McLennan, Parnell McNamara. "Parece uma zona de guerra, com todos os destroços".

O centro médico Hillcrest Baptist, em Waco, internou 28 das mais de 100 pessoas atendidas, cinco delas na unidade de tratamento intensivo, disse David Argueta, vice-presidente de operações.

O sargento Swanton disse que os investigadores ainda não tinham estabelecido o que causou o incêndio ou a explosão.

"Nós não estamos indicando que é um crime, mas nós não sabemos", disse Swanton nesta quinta-feira, nove horas depois da explosão. "O que isso significa para nós é que até sabermos se foi de fato um acidente industrial, vamos tratar o local como uma cena de crime".

Tudo o que sabemos sobre:
EUATEXASTRAGEDIACORREO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.