Cresce o número ataques em Bagdá com bombas feitas no Irã--EUA

Ataques com bombas fabricadas no Irã emuma importante parte de Bagdá aumentaram em janeiro para omaior nível em um ano, informou o comando militar dos EstadosUnidos neste domingo. Washington acusou Teerã de fornecer armas sofisticadas amilícias xiitas no Iraque, incluindo bombas colocadas emestradas capazes de penetrar em veículos blindados, a fim deafetar tropas norte-americanas. Teerã nega a acusação. O comando militar informou que foram realizados 12 ataquescom este tipo de explosivo contra forças dos EUA no mês passadoem uma área que abrange o norte e o leste de Bagdá, incluindo afavela de Sadr City, bastião da milícia Mehdi Army, do clérigoMoqtada al-Sadr. Em um comunicado, os militares norte-americanos relataramque este foi o mais alto número em um ano na área, mas nãoforneceram detalhes sobre vítimas que os ataques causaram. Os EUA também acusam o Irã de treinar milícias iraquianas.Muitos dos militantes treinados em solo iraniano sãoconsiderados membros renegados do Exército de Sadr. Sadr ordenou um cessar-fogo de seis meses que acaba no fimde fevereiro para que, com o tempo, reorganize sua milícia.

REUTERS

03 de fevereiro de 2008 | 22h56

Tudo o que sabemos sobre:
EUAIRABOMBA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.