Crianças de seita poligâmica no Texas fazem testes de DNA

Testes devem determinar quem são os pais das 416 crianças resgatadas no início de abril em rancho nos EUA

Efe,

21 de abril de 2008 | 18h55

As 416 crianças que foram resgatadas no início de abril de uma seita poligâmica no Texas começaram nesta segunda-feira, 21, a ser submetidoa a exames de DNA que a juíza encarregada do caso, Barbara Walther, ordenou para determinar quem são seus pais. As autoridades esperam que as mostras ajudem a esclarecer sobre a confusa relação familiar entre os membros da Igreja Fundamentalista de Jesus Cristo dos Últimos Dias. Veja também:Adolescentes resgatadas de rancho no Texas estão grávidasFalsos profetas As crianças se encontram por enquanto sob a custódia do Estado, mas os pais reivindicam a guarda, no que se transformou em um dos maiores casos de custódia da história dos Estados Unidos. A juíza ordenou os exames a pedido das autoridades estaduais, que afirmam que os membros da seita mudam continuamente seus nomes, têm dificuldades para identificar os membros de sua família e provavelmente mentem sobre sua idade. O processo das provas genéticas poderia levar até três ou quatro dias devido à grande quantidade de mostras que precisam ser retiradas, explicou à imprensa local Darrell Acaso, um porta-voz do Serviço de Proteção ao Menor. A promotoria acusa os membros da seita de promover o casamento entre menores de idade e homens adultos, e de obrigar as adolescentes a manter relações sexuais. O Serviço de Proteção ao Menor interveio porque considera que as crianças sofriam abusos sexuais ou corriam o iminente perigo de sofrê-los. As leis do Texas proíbem a poligamia e os casamentos de meninas menores de 16 anos. Os serviços sociais tinham dificuldades para estabelecer os vínculos familiares entre as crianças e os adultos da seita, dado que os menores identificam como sua mãe a todas as mulheres do rancho. Quando as provas de DNA tenham terminado, as autoridades do Texas começarão a situar a alguns das crianças que permanecem em centros de amparada desde a batida a princípios de abril e separará aos menores de quatro anos de suas mães.

Tudo o que sabemos sobre:
seita poligâmicaTexas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.