Crise leva prefeito de Nova York a buscar terceiro mandato

Apoiado por grandes empresários da cidade, Michael Bloomberg deve anunciar planos na quinta-feira, diz NYT

The New York Times,

30 de setembro de 2008 | 16h56

Após meses de especulação, o prefeito nova-iorquino Michael R. Bloomberg planeja anunciar na manhã de quinta-feira, 2, que irá buscar o terceiro mandato, segundo três pessoas que foram informadas de seus planos. A medida deve agitar a cena política de Nova York. Até então, a reeleição de Bloomberg é barrada pelas leis, mas ele irá propor revisar a legislação de 15 anos da cidade que, por via de regra, irá forçar o prefeito e outras dezenas de líderes a deixarem o poder em 2009.   Veja também: A cronologia da crise financeira Entenda a crise nos EUA  Entenda o que acontece com o fracasso do pacote     Em seu anúncio, espera-se que Bloomberg, ex-corretor de Wall Street e fundador de uma empresa bilionária do ramo financeiro, argumente que a crise financeira pede sua mão firme e atestada perspicácia como homem de negócios.   Com essa decisão, Bloomberg passa por cima dos conselhos de três altos assistentes da Prefeitura - Edward Skyler, Patricia E. Harris and Kevin Sheekey - que se opõe ao terceiro mandato. Para eles, qualquer campanha para desafiar os limites da lei poderia prejudicar sua imagem diante dos eleitores americanos e manchar seu forte legado conquistado nos últimos oito anos.   Entre os empresários, porém, a perspectiva de um terceiro mandato de Bloomberg é vista positivamente. Em dezenas de encontros privados e telefonemas nos últimos meses, executivos como o financista Steven Rattner e o executivo-chefe da News Corporation, Rupert Murdoch, incentivaram o prefeito a buscar a reeleição.   Enquanto a economia da cidade sofria ameaças nas últimas duas semanas, o apoio ao terceiro mandato crescia. "Ele tem a confiança da comunidade de negócios e a habilidade executiva para dirigir a cidade", afirmou Stephen M. Ross, executivo-chefe da Related Companies, principal construtora. "É uma boa hora para ele fazer isso. As pessoas estão assustadas."   Eleito prefeito em 2001 depois de se tornar republicano, Bloomberg foi reeleito para um mandato de quatro anos em 2005, mas no ano passado abandonou o partido do presidente George W. Bush e se declarou independente.

Tudo o que sabemos sobre:
EUABloombergcrise nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.