Críticos distorcem comentários de Sotomayor, diz Obama

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, rebateu neste sábado as críticas conservadoras à indicação de Sonia Sotomayor para a Suprema Corte do país, acusando os conservadores de distorcer

CAREN BOHAN, REUTERS

30 de maio de 2009 | 16h48

as palavras da indicada para ganhar pontos políticos.

"Há, é claro, alguns em Washington que estão tentando mover antigas linhas de

batalha e jogar os usuais jogos políticos, trazendo poucos comentários fora de

contexto para pintar um retrato distorcido do histórico da juíza Sotomayor,"

afirmou Obama em seu comunicado semanal por rádio.

"Mas estou confiante que estes esforços irão falhar," completou.

Filha de pais nascidos em Porto Rico, que se mudaram para Nova York durante a

Segunda Guerra Mundial, Sotomayor pode se tornar a primeira pessoa de origem

hispânica na Suprema Corte e terceira mulher. Se confirmado seu nome pelo

Senado, ela se juntará a Ruth Bader Ginsburg, a única outra mulher na Corte

atualmente.

A indicação de Obama na terça-feira da juíza de 54 anos para a Suprema Corte se

transformou em uma batalha de interesses dos grupos conservadores e liberais.

O balanço ideológico da corte - que decide sobre importantes temas sociais como

o aborto - não deverá mudar como resultado da seleção de Sotomayor, uma

liberal. Ela deve substituir David Souter que está se aposentando e que também é

um liberal.

Mas conservadores se agarraram a algumas antigas decisões legais de Sotomayor

e a descreveram como uma "ativista judiciária" que irá procurar fazer política ao

invés de interpretar a Constituição.

Os críticos ressaltaram comentários, feito em 2005, de que as cortes federais de

apelação são o lugar onde "a política é feita" e um outro comentário, de 2001, de

que uma juíza latina "iria mais frequentemente chegar a melhores decisões do que

um homem branco, que não viveu a sua vida."

Obama disse na sexta-feira que o comentário de Sotomayor foi tirado de contexto

e que ela não quis dizer que diferenciadas experiências de vida podem dar a

juízes valorosos pontos de vista dos casos que eles analizam.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAOBAMACORTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.