Debate entre republicanos marca corrida pela presidência dos EUA

A rivalidade amigável entre o republicano ascendente Newt Gingrich e o ex-favorito Mitt Romney assumirá o centro do palco neste sábado, no primeiro dos dois debates presidenciais que acontecerão em Iowa nos próximos cinco dias.

JOHN WHITESIDES, REUTERS

10 de dezembro de 2011 | 16h55

Gingrich, Romney e outros quatro pré-candidatos à Casa Branca defenderão suas candidaturas para os eleitores em uma disputa que, segundo as pesquisas, ainda está enrolada menos de um mês antes de Iowa iniciar a disputa pela indicação republicana.

O debate será transmitido em rede nacional. O outro debate republicano acontecerá na quinta-feira.

"Essa será a última chance para os candidatos impactarem a disputa antes que os votos comecem", disse o estrategista republicano Matt Mackowiak. "É uma oportunidade enorme."

É o primeiro debate desde que Gingrich, ex-presidente da Câmara dos Deputados, substituiu Romney na liderança das pesquisas na disputa republicana para a escolha de um rival para o presidente democrata Barack Obama na eleição de 2012.

Romney, ex-governador de Massachusetts e que era considerado o provável candidato republicano, respondeu a esse avanço criticando o histórico de Gingrich e comparando seu passado como empresário e a experiência de Gingrich em Washington.

"O governador vai defender seu histórico e mostrar as diferenças com os outros no palco", disse um assessor-sênior de Romney sobre seus planos.

Gingrich raramente foi criticado nos debates anteriores e se conteve para não atacar seus colegas republicanos, mas isso pode mudar na noite de sábado.

"Nenhuma campanha fica parada e permite que um opositor apunhale você no coração", disse o ex-congressista Greg Ganske, partidário de Gingrich. "Merece uma resposta."

O debate também pode ser a última chance para outros candidatos chamarem a atenção do eleitorado. O ex-senador Rick Santorum, o governador do Texas, Rick Perry, e os congressistas Michele Bachmann e Ron Paul participarão do evento.

Todos os quatro foram agressivos nos últimos debates, criticando os rivais, e agora terão mais tempo para falar já que o palco estará menos cheio do que nos eventos anteriores.

O empresário Herman Cain se retirou da disputa há uma semana depois de acusações de que teve uma amante por 13 anos, e o ex-governador de Utah Jon Huntsman não participará do debate.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAREPUBLICANOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.