Declarações de Obama enfurecem os paquistaneses

Pré-candidato disse que, se eleito, poderia ordenar ataques e ocupações ao país para enfrentar Al-Qaeda

Associated Press,

03 de agosto de 2007 | 21h01

Funcionários do governo paquistanês nesta sexta-feira, 3, chamaram de "irresponsável" o pré-candidato democrata à presidência dos Estados unidos, Barack Obama, por ter dito que, se eleito, poderá ordenar ataques unilaterais contra a organização terrorista Al-Qaeda dentro de território paquistanês.   Centenas de populares, enfurecidos, queimaram bandeiras dos EUA na capital paquistanesa nesta sexta.   Os comentários de Obama aumentaram ainda mais a polêmica entre os EUA e o Paquistão, que surgiu quando funcionários da atual administração Bush disseram que considerariam ataques à Al-Qaeda no Paquistão, se fossem recomendados por informações de inteligência. As declarações foram feitas na semana passada.   Ainda nesta semana, um parlamentar republicano do Colorado, Tom Tancredo, disse que a melhor maneira que ele pensaria para deter um ataque nuclear aos EUA seria a ameaça de bombardeio dos lugares santos do Islã, as cidades de Meca e Medina, na Arábia Saudita.

Tudo o que sabemos sobre:
Barack ObamaEstados UnidosPaquistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.