Democratas se preparam para ter maioria no Senado dos EUA

Após escândalos envolvendo Republicanos, partido da oposição quer somar 60 cadeiras entre as 100 da Casa

Reuters,

07 de outubro de 2007 | 16h28

Os Democratas estão se posicionando para fortalecer sua maioria no Senado nas eleições do próximo ano, independentemente de quem suceder o presidente George W. Bush na Casa Branca.   Com Republicanos acuados por aposentadorias e escândalos na guerra do Iraque, há chances de que os Democratas ganhem até mais nove cadeiras entre os cem representantes do Senado, nas eleições de novembro de 2008, o que os daria um total de 60.   A última vez em que os Democratas tiveram a maioria do Senado foi entre 1977-79, com 61 cadeiras. "Sessenta não está fora da esfera possível", diz Jennifer Duffy, que observa a disputa no Senado para a entidade não-partidária Cook Political Report.   "Mas para que isso aconteça, tudo terá que dar certo para eles", ela disse. "No momento, ainda é cedo para dizer."   A um ano das eleições, os Republicanos estão se distanciando de Bush, cuja taxa de aprovação é de 33% nas últimas pesquisas. Mas permanecem ainda associadas à Guerra do Iraque, agora em seu quinto ano. "Nós vamos perder cadeiras", diz um assessor dos Republicanos. "O clima político não está bom para nós."   "Os Democratas ainda têm que provar que podem dirigir o país efetivamente, e os eleitores estão observando", disse Rebecca Fisher, porta-voz do comitê de campanha do partido Republicano para o Senado. Para ela, os Republicanos vão reconquistar o controle do Senado.   Os Democratas descartam essa visão, notando que as pesquisas mostram que os norte-americanos preferem Democratas no Congresso. Mas muitos evitam quantificar o sucesso nas próximas eleições. "O Democratas querem minimizar as expectativas de grandes ganhos (no Senado) porque temem que isso inflame a base republicana", diz Duffy.   O senador Charles Schumer de Nova York, que lidera o comitê de campanha dos Democratas para o Senado, é um dos que evita falar em número de cadeiras. "Nós estamos confiantes quanto às nossas chances."

Tudo o que sabemos sobre:
SenadoBushEUADemocratas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.