Rich Pedroncelli/AP Photo
Rich Pedroncelli/AP Photo

Democratas vencem recall e mantêm Gavin Newsom no comando da Califórnia

Maioria dos eleitores rejeitou interrupção do mandato do governador; com a vitória, Newsom permanece no cargo até o início de 2023

Redação, O Estado de S.Paulo

15 de setembro de 2021 | 02h53

SACRAMENTO - O democrata Gavin Newsom, governador da Califórnia, venceu a votação de recall realizada nesta terça-feira, 14, e continua no cargo. Com 63% das cédulas apuradas, a maioria dos eleitores, 65,8%, decidiu rejeitar a interrupção do mandato. 

O resultado oficial ainda deve demorar alguns dias para ser totalmente computado. Isso ocorre porque o sistema prevê a contagem de votos enviados até o dia da eleição e recebidos nos três dias sequentes à data do pleito. O prazo máximo para a certificação da vitória é dia 22 de outubro. 

Em discurso realizado em Sacramento, capital do Estado, Newsom agradeceu os eleitores californianos “que exerceram seu direito fundamental de votar” e disse estar grato com o resultado. 

O processo para interromper o mandato do governador contou com 1,5 milhão de assinaturas. Pelas regras da Califórnia, é necessária a adesão de pelo menos 15% dos eleitores da última eleição para convocar o pleito especial. A campanha ganhou força entre os conservadores, contrários às políticas sobre direitos LGBTQI+, crime, imigração e gestão da pandemia da covid-19 defendidas pelo democrata. 

Na véspera do recall, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, acompanhou Newsom no último comício realizado antes da votação. “Você pode manter Gavin Newsom como seu governador ou receber Donald Trump”, disse Biden em alusão aos concorrentes, em maioria republicanos, que oficializaram a candidatura para substituir o governador. 

Até o momento, segundo o The New York Times, o apresentador de rádio Larry Elder, negro e apoiador do ex-presidente Donald Trump, lidera, com 43% dos votos, as citações na parte da cédula que requisita um nome para substituir Newsom em caso de derrota. A campanha promovida por Elder teve como cerne a alteração de políticas relacionadas à pandemia, entre elas a promessa de retirar o uso obrigatório de máscaras.

Newson foi eleito em 2018 com 62% dos votos. Com a vitória, o governador, que está em seu primeiro mandato, permanece no cargo até o início de 2023. /REUTERS, AFP e NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.