Dentista dos EUA reusa seringas e põe milhares sob risco de HIV

Um dentista que teve a licença para trabalhar suspensa no Estado norte-americano do Colorado reutilizou seringas e agulhas durante seus procedimentos profissionais, potencialmente expondo milhares de pacientes ao vírus HIV e à hepatite, disseram autoridades de saúde na sexta-feira.

Reuters

14 de julho de 2012 | 10h09

O Departamento de Saúde Pública e Meio Ambiente do Colorado enviou cartas a 8.000 pacientes do dentista Stephen Stein, pedindo que façam exames para verificar a existência de doenças. O pedido foi feito após a comprovação das "práticas de injeção inseguras" em duas clínicas da região de Denver, ambas do mesmo dentista, entre setembro de 1999 e junho de 2011.

Investigadores descobriram que Stein reutilizava agulhas e seringas nas linhas intravenosas de vários pacientes em suas clínicas de cirurgias bucais e implantes dentários, violando os padrões médicos, informou o departamento em comunicado.

“"Está comprovado que essa prática transmite doenças", informou o comunicado. Ele acrescentou que não houve casos confirmados de alguém que tenha contraído infecções virais por meio das clínicas de Stein.

Nas cartas enviadas aos pacientes do dentista, o departamento de saúde os exortou a realizarem exames de HIV, hepatite B e C, afirmou Jan Stapleman, porta-voz do órgão.

Os registros de Stein estavam incompletos, então é provável que mais pessoas estejam expostas, além daqueles pacientes já identificados, disse a porta-voz.

(Reportagem de Keith Coffman)

Mais conteúdo sobre:
EUASAUDEDENTISTADS1B*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.