Deputada baleada já consegue se comunicar, diz médico

Democrata Gabrielle Giffords participava de evento político quando foi alvejada em ataque que matou seis pessoas

Efe e agências internacionais,

09 de janeiro de 2011 | 16h08

A deputada federal democrata americana Gabrielle Giffords, de 40 anos, continua em estado grave, mas já é capaz de responder com gestos a perguntas, informaram os médicos. Ela foi baleada no sábado durante um evento em Tucson, no Estado do Arizona, em um ataque que deixou pelo menos seis mortos - entre eles uma criança de nove anos - e 12 feridos.

 

Em uma conferência de imprensa no Centro Médico da Universidade de Arizona, o chefe de traumatologia, Peter Rhee, indicou que devido à operação que foi realizada após o disparo na cabeça, a deputada respira com a ajuda de aparelhos e, por isso não pode falar, mas consegue "se comunicar e responder a ordens simples."

 

Veja também:

linkSuposto atirador tem 'passado problemático'

linkAutoridades pedem que deputados 'tomem precauções'

linkObama chama incidente de 'tragédia inqualificável'

 

Polícia busca agora um suposto comparsa do atirador Jared Loughner

 

Considerada uma estrela em ascensão no Partido Democrata, do presidente Obama, Giffords foi reeleita para seu terceiro mandato nas eleições legislativas de novembro. Obama disse que Giffords é sua amiga e muito querida por seus colegas e eleitores.

 

"Não estou surpreso que hoje Gabby estava fazendo o que sempre faz, ouvindo as expectativas e preocupações de seus vizinhos", disse o presidente norte-americano. A deputada foi baleada diante de dezenas de pessoas, em frente a um supermercado da rede Safeway, onde promovia um evento político chamado "Congress on your Corner" (O Congresso na sua esquina, em tradução livre), em que se encontrava regularmente com a população.

 

Vigília é feita em frente ao Hospital de Tucson, onde Giffords permanece internada

 

Desde que assumiu seu primeiro mandato na Câmara dos Representantes (deputados federais), em janeiro de 2007, ela costumava organizar eventos desse tipo. Em um desses encontros, em 2009, um manifestante chegou a ser retirado do local depois que sua arma caiu no chão. O encontro deste sábado era o primeiro desde que foi reeleita.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.