Deputados dos EUA mandam cartas a Chávez e às Farc

Três deputados dos Estados Unidosmandaram esta semana cartas ao presidente venezuelano, HugoChávez, e à cúpula das Farc pressionando por um acordohumanitário que possibilite a troca de reféns porguerrilheiros, disseram nesta sexta-feira fontesparlamentares. Os democratas James McGovern, Bill Delahunt e Gregory Meeksmandaram ainda uma carta ao presidente colombiano, AlvaroUribe, dizendo que respeitam sua decisão de suspender amediação realizada por Chávez, confirmou o próprio Meeks àReuters por telefone. A Chávez, eles pediram ajuda, ainda que de maneirainformal, para conseguir um acordo humanitário, acrescentou odeputado. "Entendemos que ele não é o negociador oficial, mas pedimossua ajuda por qualquer coisa que possa fazer para que se cheguea uma acordo humanitário", afirmou Meeks. Ao líder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia(Farc), Manuel Marulanda, os congressistas pediram que eleintercedesse por um acordo pela troca de pelo menos 47 reféns,entre eles três norte-americanos, por cerca de 500 rebeldes daguerrilha que estão presos, acrescentou. Uribe suspendeu os trabalhos de mediação pela troca dereféns que era conduzida por Chávez e a senadora colombianaPiedad Córdoba, do partido de oposição Partido Liberal, o quecausou uma grave crise diplomática entre Bogotá e Caracas. O envio das cartas aconteceu enquanto Córdoba visitavaWashington, e após a colombiana ter se reunido com os deputadosna quarta-feira. Ao mesmo tempo, as Farc anunciaram quelibertariam três reféns e os entregaria a Chávez. Meeks explicou que os deputados norte-americano decidirammandar as cartas porque a senadora colombiana teria dito a elesque era possível a libertação de mais reféns, além dos trêsanunciados esta semana. (Reportagem de Adriana Garcia)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.