Deputados dos EUA sugerem pôr Venezuela na lista de terroristas

Dois deputados norte-americanos,republicanos, apresentaram uma resolução propondo a inserção daVenezuela na lista de países que patrocinam o terrorismo --elaborada pelos Estados Unidos -- por sua relação com as ForçasArmadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), informaram nestasexta-feira funcionários do Congresso. As deputadas da Flórida Ileana Ros-Lehtinen, a republicanano mais alto posto na Comissão de Relações Exteriores daCâmara, e Connie Mack, apresentaram o projeto, que deve serdiscutido pela Câmara dos Deputados e no Senado. "A decisão de líderes venezuelanos de apoiar importantescriminosos, extremistas violentos, envenenou a região cominstabilidade e desconfiança", disse Ros-Lehtinen, em umcomunicado. "A população da Venezuela merece algo melhor. Em vez deincentivar a instabilidade na região, o governo da Venezueladeveria pensar no bem-estar de seu povo", acrescentou. Ros-Lehtinen já havia pedido ao Departamento de Estado,no mês passado, que investigasse as relações comerciais entre aVenezuela e o Irã, país que integra a lista de patrocinadoresdo terrorismo, na qual também estão Coréia do Norte, Cuba,Síria e Sudão. As críticas, especialmente de republicanos, às relações dopresidente venezuelano, Hugo Chávez, com outros governos ougrupos aumentaram depois do ataque da Colômbia contra umacampamento das Farc em território equatoriano, no dia 1o demarço. O ataque desencadeou uma grave crise diplomática entre aColômbia, Equador e Venezuela e resultou na morte do número 2no comando das Farc, conhecido como Raúl Reyes. O governo equatoriano se queixou de Bogotá por ter violadosua soberania e Chávez ordenou o reforço de tropas na fronteirada Venezuela com a Colômbia, em apoio ao Equador. Os EUA, bem como a União Européia e a Colômbia, consideramas Farc um grupo terrorista. Mas Chávez tem dito que as Farc são um grupo "insurgente"que luta pela adoção de ideais socialistas e não deveria estarna lista de grupos terroristas. Os vínculos entre Chávez e a guerrilha ganharam novadimensão depois que o governo colombiano destacou que numcomputador encontrado com Reyes havia informações de que olíder venezuelano financia as Farc com dinheiro e armas -- fatonegado por Caracas. A resolução terá de ser analisada pelo plenário da Câmara edo Senado para entrar em vigor. Se a Venezuela fosse colocada numa lista de Estadospatrocinadores de terrorismo seria afetada por sanções, como aproibição de venda de armas norte-americanas para o país,maiores controles a programas de ajuda econômica e restriçõesfinanceiras, incluindo a oposição dos EUA a empréstimos doBanco Mundial e do Fundo Monetário Internacional (FMI). (Reportagem de Adriana Garcia)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.