- Arte/estadão.com.brArte/estadão.com.br
- Arte/estadão.com.brArte/estadão.com.br

Desativação de usina nuclear dos EUA após terremoto gera receios

Complexo de North Anna, a 130 km de Washinton, ficou sem energia após tremor

EILEEN O'GRADY E JOSHUA SCHNEYER, REUTERS

24 de agosto de 2011 | 08h17

HOUSTON - O terremoto mais forte a atingir a Costa Leste dos Estados Unidos em 67 anos despertou preocupações na terça-feira com as usinas nucleares do país.

 

Veja também:

som OUÇA: Relato de Gustavo Chacra, correspondente em NY

forum PARTICIPE: Está na região atingida? Conte sua história

mais imagens GALERIA: O terremoto nos Estados Unidos

 

O epicentro do terremoto de magnitude 5,8 ocorreu a apenas alguns quilômetros da usina nuclear de North Anna, que tem dois reatores e é administrada pela operadora Dominion Resources em Mineral, Virgínia, cerca de 130 quilômetros de Washington.

A usina ficou sem energia e suspendeu automaticamente as operações depois do terremoto. Apesar de um porta-voz da Dominion informar que não houve "grandes" danos às instalações, três geradores a diesel foram acionados para manter o núcleo radioativo dos reatores resfriados. O quarto gerador a diesel falhou e não foi acionado.

 

Fukushima

Apesar de usinas nucleares poderem operar de forma segura com energia usada no caso de problemas, a falha dos geradores é um dos principais motivos pelo desastre na usina de Fukushima Daiichi, no Japão, depois do terremoto de magnitude 9,0 e o tsunami de março.

"Usinas nucleares perdem uma margem significativa de segurança quando são obrigadas a depender desses sistemas de emergência", disse Paul Gunter, diretor de vigilância dos reatores na Beyond Nuclear, um grupo ativista contrário à energia nuclear.

A Comissão Reguladora da Energia Nuclear (NRC) dos EUA disse que o desligamento ocorreu de forma segura e não apresentava riscos para o público. Não estava claro quando a energia fora do complexo seria restaurada ou quando a usina de 1806 megawatts, que continuou em alerta, seria reativada.

O porta-voz da Dominion, Jim Norvelle, disse que a usina foi projetada para suportar um terremoto de magnitude de até 6,2.

Mas alguns especialistas manifestaram preocupação com a pequena margem entre o nível estipulado pelo projeto da usina e o terremoto de terça-feira.

"Foi desconfortavelmente próximo à base do projeto", disse Edwin Lyman, da União de Cientistas Preocupados, que tem pressionado por regulamentos mais rígidos no setor nuclear.

"Se Fukushima não foi um chamado de alerta, isso realmente precisa ser, para que o NRC e a indústria comecem a realizar revisões sísmicas para todas as usinas nucleares do país."

 

Tremor

O terremoto de terça-feira, que foi sentido na Costa Leste dos EUA e até no Canadá, foi o maior terremoto a atingir a região desde um tremor de 5,9 no Estado de Nova York em 1944.

Os reatores de North Anna estão entre os 27 localizados para o leste das Montanhas Rochosas e que o NRC apontou em uma revisão sísmica no ano passado como sendo um possível perigo, devido ao nível de tremores que eles foram projetados para suportar.

Outras 12 usinas nucleares na Costa Leste declararam algum "evento fora do comum" depois do tremor, o mais baixo das categorias de emergência do NRC. O estado de "alerta" para o North Anna está um passo à frente na escala de quatro etapas na escala de emergência dos Estados Unidos.

Tudo o que sabemos sobre:
EUATERREMOTONUCLEAR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.