Desta vez, não houve 'Você mente!' em discurso de Obama

Desta vez, não houve gritos de "Você mente!" durante o discurso do presidente norte-americano Barack Obama no Congresso.

ANDY SULLIVAN, REUTERS

28 de janeiro de 2010 | 08h54

Republicanos se comportaram durante o discurso sobre o Estado da União na quarta-feira, demonstrando renovada confiança depois que o sentimento eleitoral se opôs a muitas das propostas do presidente.

O republicano Joe Wilson, da Carolina do Sul, que se tornou um símbolo de partidarismo desordeiro após seus gritos durante um discurso de Obama no Congresso em setembro de 2009, ficou calado desta vez.

E, diferente da juíza do Tribunal Superior de Justiça Ruth Bader Ginsburg, também não cochilou.

Ginsburg, que luta contra câncer pancreático, caiu no sono algumas vezes, recebendo cutucadas de seu colega na Justiça Stepehn Breyer.

O conservador juiz Samuel Alito prestou atenção -- balançou a cabeça e parecia dizer "isso não é verdade" quando Obama criticou uma decisão recente do tribunal.

O Estado da União é uma oportunidade para o presidente delinear sua agenda, mas também representa um teatro em Washington. Comandantes militares se misturam com diplomatas, enquanto cidadãos comuns selecionados observam das galerias.

Para os 535 membros do Congresso, o discurso se parece com uma aula de aeróbica já que eles pulam para aplaudir as propostas. Eles aplaudiram cerca de 80 vezes neste ano, de acordo com uma contagem informal da Reuters.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAMETEOBAMA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.