Destroços de explosão em Nova York contêm amianto

Os destroços de uma antiga tubulaçãode vapor que explodiu no centro de Manhattan contêm amianto,afirmaram autoridades de Nova York na quinta-feira. As autoridades ressaltaram, porém, que não foram detectadosindícios da perigosa substância na atmosfera. O amianto, antesbastante utilizado como isolante térmico, provoca váriasdoenças, mas em especial males pulmonares. Seis quarteirões da cidade continuavam isolados depois daexplosão, responsável por chacoalhar prédios no final da tardede quarta-feira e que obrigou as pessoas a fugirem em meio aoum cenário parecido com o dos ataques do 11 de setembro de2001. A possibilidade de a explosão ter ligação com um atentadoterrorista foi descartada pelas autoridades. Segundo elas, oincidente pode ter sido provocado pela entrada de água fria noduto. Uma pessoa morreu de ataque cardíaco e outras 20 ficaramferidas, algumas delas gravemente. Depois de explodir, a tubulação ficou expelindo, a umaaltura de 36 metros, água marrom e vapor. "Os equipamentos que monitoram a qualidade do ar nãodetectaram traços de amianto na atmosfera. No entanto, váriasdas amostras de lama retiradas do local continham amianto",disse a empresa de energia Consolidated Edison, em umcomunicado. A explosão abriu uma cratera de 6 metros de largura naesquina da Lexington com a 41st Street, uma das áreas maismovimentadas da cidade de Nova York. O cenário da explosão trouxe à mente das pessoas a imagemdas Torres Gêmeas do Word Trade Center caindo em meio a grandesnuvens de destroços, no dia 11 de setembro de 2001. O jornal New York Post escreveu em sua manchete de primeirapágina: "Vulcão no Centro da Cidade". A antiga tubulação, com 60 centímetros de diâmetro, foiinstalada debaixo da Lexington em 1924 e transportava vaporpara vários usos industriais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.