Diante de críticas, Obama diz considerar visita ao Iraque

McCain propõe viagem conjunta ao país; candidato republicano acusa democrata de pouca experiência

Associated Press,

29 de maio de 2008 | 16h15

O senador democrata Barack Obama disse que está considerando uma visita ao Iraque, mas a descartou como um "truque político" o convite do candidato republicano à Presidência americana John McCain para ambos realizarem uma viagem conjunta ao país.   Veja também: Obama espera obter indicação democrata na próxima semana John McCain acredita que EUA devam reduzir arsenal nuclear Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA  Acompanhe a disputa entre os pré-candidatos    Enquanto as eleições gerais de novembro se aproximam, McCain e Obama - favorito pela indicação presidencial democrata - aumenta a troca de farpas. A discussão sobre o Iraque, largamente excluída durante a fase das primárias, provavelmente será o fator de destaque em novembro, e o democrata tenta reagir às críticas do republicano de que não teria experiência em política externa.   Obama, que agora está a apenas 44 delegados do total de 2.026 necessários para obter a indicação de seu partido e deixar Hillary Clinton fora da corrida, pode ter sinal verde à Casa Branca já no domingo se ele se sair bem nas prévias de Porto Rico.   Estas primárias, as primeiras na ilha em quase três décadas, trouxeram atenção ao território americano onde os residentes não votam nas eleições gerais e a maioria não se identifica com nenhum dos partidos.   Mas, com 55 delegados para serem disputados por Hillary e Obama, os pré-candidatos voltaram-se para o território porque o senador pode conseguir teoricamente a indicação se ele vencer a rival nesta primária.   A ex-primeira dama está contando com a vitória para reforçar seu discurso de que conseguiu a maioria dos votos populares baseados em uma contagem seletiva das disputas democratas.   Obama, que pode se tornar o primeiro presidente negro dos EUA, disse ao jornal The New York Times que a possível viagem poderá acontecer para conversar com as tropas e comandantes americanos e não para "tentar marcar pontos políticos ou performances."   McCain, ex-prisioneiro na guerra do Vietnã, construiu boa parte de sua candidatura baseada em sua política externa e experiência na segurança nacional. Enquanto ele defende continuar as operações americanas no Iraque, Obama propõe uma rápida retirada das tropas.   Em um discurso em Nevada, o republicano disse que o senador democrata "têm sua posição por ideologias e não por fatos". Obama "não tem o conhecimento ou experiência necessária para fazer julgamentos. Presidentes tem que ouvir e aprender; presidentes tem que tomar decisões sem considerar o quanto eles serão populares ou impopulares por isso", acrescentou.   McCain já esteve no Iraque oito vezes. O Partido Republicano juntou-se ao desafio do senador na quarta-feira e lançou um relógio online para contar os dias desde a última visita de Obama à região da guerra - segundo a contagem, são 871 dias.   O democrata disse aos repórteres na noite de quarta que isso "não é relevante". Sua única visita ao país foi em janeiro de 2006, quando viajou como parte de uma delegação congressional. Para Obama, McCain está usando o argumento para desviar atenções.   Laudos médicos   Ainda nesta quinta, Obama divulgou um comunicado de seu médico que atesta que o senador contava com excelente saúde em seu último check-up, há 16 meses.   O doutor David T. Scheiner informou que o democrata, de 46 anos, tem histórico de câncer na família e um hábito de fumar que ele tentar parar, mas que não apresenta excesso de gordura corporal ou sinais de problemas cardíacos ou de colesterol.   Na semana passada, McCain, de 71 anos, também divulgou boletins médicos documentando oito anos de sua saúde - incluindo um tratamento bem-sucedido contra um melanoma - e a conclusão de seus médicos é de que ele estaria apto à Presidência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.