Diplomata do Catar que disparou alarme terrorista vai embora dos EUA

Diplomata do Catar que disparou alarme terrorista vai embora dos EUA

Mohammed al-Modadi foi preso após ter acendido cigarro no banheiro de um avião

09 de abril de 2010 | 19h34

Efe

 

WASHINGTON- O diplomata do Catar que disparou o alarme terrorista em um avião comercial americano ao tentar acender um cigarro no banheiro, será realocado e deixará os Estados Unidos, informaram nesta sexta-feira, 9, fontes oficiais.

 

O porta-voz do Departamento de Estado, Philip Crowyley, disse que as autoridades catarianas "decidiram realocar o diplomata e ele deixará o país dentro de pouco tempo".

 

Mohammed al-Modadi, de 27 anos, terceiro secretário e vice-cônsul na representação catariana nos EUA, foi libertado sem acusações na quarta-feira, depois do incidente que aconteceu em um voo da United Airlines no qual viajava de Washington para Denver com 157 passageiros.

 

Fontes oficiais de segurança informaram que o incidente foi um mal-entendido, depois que as aeromoças do avião viram sair fumaça de um banheiro da aeronave, e ao ser perguntado, Modadi respondeu, de maneira jocosa: "Estou amarrando meus sapatos".

 

Sua resposta fez disparar os alarmes, depois que em 2001 o americano Richard Reid tentou explodir um avião de passageiros detonando explosivos escondidos em seus sapatos, e o avião teve que pousar na base Buckley da Força Aérea dos Estados Unidos, escoltado por dois aviões militares.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAaviãovooexplosãoCatar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.