EFE/RODRIGO MIRAGAYA
EFE/RODRIGO MIRAGAYA

Disney fecha e empresas cancelam voos para Flórida por causa de furacão

O 'Matthew' se aproxima da região com fortes chuvas e ventos; voos do Brasil em direção a Miami e Orlando não decolaram

O Estado de S.Paulo

06 de outubro de 2016 | 19h53

MIAMI - Companhias aéreas norte-americanas começaram a cancelar voos saindo da Flórida e em direção ao estado nesta quinta-feira, 6, à medida em que o furacão Matthew se aproxima da região com fortes chuvas e ventos de até 200 quilômetros por hora.

Segundo a FlightAware.com, um serviço de rastreamento de voos, 1,477 mil viagens que tinham o Estado como destino ou como origem foram canceladas por empresas como a American Airlines, JetBlue Airways, Southwest Airlines, Spirit Airline e Delta Air Lines.  Os voos que patiriam do Brasil também foram cancelados de aeroportos como o de Guarulhos, em São Paulo, e o do Galeão, no Rio de Janeiro. A Latam informa que 26 voos foram cancelados ou remarcados nesta quinta, em direção a Miami e Orlando. A Azul cancelou três voos que partiriam de Viracopos, em Campinas, para as duas cidades.

Por onde passou, na América Central e Caribe, o furacão deixou um rastro de destruição. Foram registrados já mais de 100 mortos, principalmente no Haiti.  Enquanto passava pelo noroeste das Bahamas, o Matthew subiu da categoria 3 para a 4 no trajeto em direção à costa atlântica da Flórida, informou o Centro Nacional de Furacões dos EUA (NHC).

Diversos aeroportos na região do Caribe também interromperam as operações por causa da passagem do Matthew. Em geral, os aeroportos não deixam de operar nos EUA, mas as empresas suspendem atividades.

Em comunicado, a Disney afirmou também que vai fechar seus parques temáticos, aquáticos e outras propriedades na Flórida Central. A decisão também abrange os campos de golfe e o complexo esportivo ESPN Wide World, e foi decidida por "preocupação" com seus atuais hóspedes. // DOW JONES NEWSIRES

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.