Disputa republicana volta-se ao Sul dos EUA sem favorito

Os pré-candidatosrepublicanos à Casa Branca levam na quarta-feira suas campanhasà Carolina do Sul, próximo Estado a participar da disputa pelaindicação partidária, que ficou ainda mais acirrada com avitória de Mitt Romney, na terça-feira, na prévia de Michigan. A primária republicana da Carolina do Sul está marcada parasábado e será a primeira disputa estadual deste ano no Sul dopaís. Além de Romney, os favoritos são o senador John McCain(vencedor da primária de New Hampshire) e Mike Huckabee (queganhou o "caucus" de Iowa). Enquanto os republicanos apuravam os votos em Michigan, osprincipais candidatos democratas travavam um amistoso debate emNevada, onde há prévias do partido no sábado. Barack Obama eHillary Clinton prometeram deixar de lado uma polêmicapotencialmente nociva sobre a questão racial. Eles elogiaram-se mutuamente na questão dos direitos civise concordaram que o confronto foi exacerbado por assessores dasrespectivas campanhas. "Ambos temos seguidores às vezes incontroláveis", disseHillary. "Devemos levar esta campanha para onde ela deve estar.Somos todos uma família no Partido Democrata." PESQUISAS A três dias da primária, McCain lidera na Carolina do Sulcom 6 pontos percentuais de vantagem sobre Huckabee (29-23 porcento), segundo a pesquisa Reuters/C-SPAN/Zogby divulgada naquarta-feira. Romney aparece em terceiro, com 13 por cento, mas pode sebeneficiar do impulso dado pela vitória em Michigan, ondetravou uma disputa acirrada com McCain, centrada principalmentenos problemas econômicos da região de Detroit. Diante da perspectiva de recessão nos EUA, e com menosênfase no noticiário sobre o Iraque, a economia possivelmentese torna a principal questão da campanha. Romney defendeu uma menor regulamentação por parte dogoverno como incentivo para a recuperação de empregos perdidosno setor automobilístico de Michigan. McCain disse sem rodeiosque alguns dos empregos estão perdidos para sempre, e que osdesempregados deveriam ser requalificados para buscar trabalhono setor de alta tecnologia. Em seu discurso de vitória, Romney tentou se mostrar como ocandidato da mudança, em contraste com McCain, que estariahabituado demais a Washington. "Não há como alguém de dentro deWashington virar Washington de ponta-cabeça", afirmou. O ex-prefeito de Nova York Rudy Giuliani, que obteve menosde 10 por cento em Michigan, ainda deposita suas esperanças nadisputa de 29 de janeiro na Flórida e nos 22 Estados que votamna chamada "superterça", 5 de fevereiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.