Doadores prometem US$4,5 bi para recuperar Geórgia

Doadores da comunidade internacional prometeram nesta quarta-feira o envio de 4,55 bilhões de dólares, quantia maior que a esperada, para ajudar a Geórgia a se recuperar de seu conflito com a Rússia. Para o governo norte-americano, a medida é um sinal extraordinário de solidariedade em meio a um período de turbulência financeira. A Comissão Européia disse que a quantia prometida em uma conferência de um dia em Bruxelas inclui 3,7 bilhões de dólares em empréstimos públicos e concessões e 850 milhões do setor privado. "Quatro bilhões e meio de dólares excede de longe as expectativas que tínhamos. Em tempos como estes, mostrar apoio assim é algo que nenhum georgiano irá esquecer", afirmou o primeiro-ministro georgiano, Lado Gurgenidze, em um pronunciamento à imprensa. A diretora da agência de auxílio dos Estados Unidos disse que a ação é um grande sinal de apoio. "A mensagem economicamente e politicamente é muito forte para a Geórgia. Em tempos de crise financeira, isso é extraordinariamente forte", declarou a administradora da Usaid, Henrietta Fore, à Reuters. A Organização das Nações Unidas e o Banco Mundial haviam estimado que a Geórgia, que integra uma importante rota energética, precisaria de 3,25 bilhões de dólares nos próximos três anos para ajudar dezenas de milhares de pessoas que perderam suas casas e para reconstruir e desenvolver infra-estrutura. A Rússia enviou tropas em agosto depois que a Geórgia tentou retomar a região separatista da Ossétia do Sul, favorável à Rússia. Moscou já retirou seus soldados do território georgiano, mas o Ocidente acusou o governo russo de fazer um uso desproporcional da força. Os bombardeios realizados pela Rússia na guerra de agosto atingiram principalmente alvos militares, mas o governo georgiano também registrou danos nas obras de infra-estrutura e riscos para seu crescimento econômico e volume de investimento. Os EUA ofereceram doar ao menos 1 bilhão de dólares para ajudar os georgianos no processo de reconstrução. A Comissão Européia (Poder Executivo da UE) prometeu dar cerca de 500 milhões de euros (642 milhões de dólares) até 2010. A Comissão informou que os 27 Estados membros da UE e o Banco de Investimentos europeu levavam o total do bloco para 863 milhões de euros. O encontro de quarta-feira, do qual participaram ministros, foi presidido pela Comissão Européia e pelo Banco Mundial. Mais de 70 por cento dos países do mundo foram convidados, bem como instituições financeiras internacionais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.