Dois homens de Nova York são acusados de colaborarem com a Al-Qaeda

Homens compraram sistemas de computadores e relógios para a rede, segundo Justiça dos EUA

30 de abril de 2010 | 17h52

Reuters

 

NOVA YORK- Dois homens de Nova York foram acusados de proverem a rede extremista Al-Qaeda de materiais de suporte, incluindo sistemas operacionais para computadores e sete relógios para a rede, promotores afirmaram nesta sexta-feira, 30.

 

Veja também:

especialEspecial: As franquias da Al-Qaeda

 

Wesam El-Hanafi, 33, que nasceu e foi criado no bairro do Brooklyn, e Sabirhan Hasanoff, 34, cidadão americano e australiano que também morou no Brooklyn, foram acusados de executarem tarefas para a Al-Qaeda em Nova York, de acordo com a Justiça americana.

 

Os promotores não detalharam as tarefas executadas ou o porquê de os relógios da Casio terem sido comprados.

 

"Wesam El-Hanafi e Sabirhan Hasanoff conspiraram para modernizar a Al-Qaeda, provendo a organização de sistemas operacionais e outros equipamentos e serviços", disse o promotor americano Preet Bharara por meio de um comunicado. "Esses dois nova-iorquinos, que confessaram terem ligações com a Al-Qaeda, serão agora presos para cumprirem sua pena."

 

Os promotores se recusaram a dizer onde El-Hanafi e Hasanoff estão presos. Eles compareceram à corte federal em Virgínia nesta sexta e foram detidos. Espera-se que os dois sejam enviados a Nova York. A pena máxima para cada um, se condenados, é de 15 anos.

Tudo o que sabemos sobre:
Al-QaedaNova YorkEUAacusação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.