'Dr. Morte' pretende candidatar-se a deputado nos EUA

O médico Jack Kevorkian, odefensor do suicídio assistido, conhecido como "dr. Morte" porter ajudado mais de 100 pessoas a porem fim a suas vidas, dissenesta segunda-feira que pretende concorrer a uma cadeira noCongresso dos Estados Unidos. O patologista de 79 anos de idade anunciou sua candidaturacomo político independente menos de um ano depois de ter sidolibertado da prisão, onde cumpriu pena de oito anos porassassinato em segundo grau. "Não tenho laços, não tenho grilhões. Sou livre", afirmouKevorkian a repórteres, acrescentando que pretendia concorrerpara enfrentar a "tirania" da Suprema Corte dos EUA, que,segundo disse, roubou os norte-americanos de seus direitos. Na década de 90, Kevorkian tornou-se uma das figuras maisconhecidas e mais polêmicas do debate sobre a eutanásia aoajudar 130 pessoas a suicidarem-se e por defender de maneiraaberta o "direito à morte". Kevorkian, que ganhou a liberdade condicional em 2007,afirmou que concorrerá como candidato independente para umacadeira de uma área de Detroit, nas proximidades da região ondeajudou dezenas de pessoas a se matarem em quartos de hotéisbaratos e na parte de trás de seu furgão enferrujado. O médico foi condenado depois de a TV CBS ter mostrado umvídeo no qual ele aparecia injetando drogas letais em um homemde 52 anos que sofria de esclerose lateral amiotrófica, umadoença degenerativa também conhecida como doença de LouGehring. Em sua campanha, Kevorkian deve enfrentar o republicano JoeKnollenberg, atual ocupante da vaga, e o democrata Gary Peters.Os três concorreriam pelo 9o Distrito de Michigan, que incluibairros ricos como Bloomfield Hills e Birmingham. Analistas políticos avaliam que a disputa entre os doisprincipais candidatos será acirrada. Kevorkian precisa reunir 3.000 assinaturas em uma petição afim de poder candidatar-se. (Reportagem de Soyoung Kim)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.