E-mails do Serviço Secreto dos EUA revelam piadas racistas

Agência é considerada uma das mais isoladas culturalmente; agentes negros reclamam de preconceito

Associated Press

10 de maio de 2008 | 17h04

Supervisores do Serviço Secreto dos EUA compartilharam piadas explícitas sobre sexo, caçoaram com desdém de negros e repassaram uma piada sobre o possível assassinato do Reverendo Jesse Jackson, de acordo com um e-mail interno revelado numa corte federal na última sexta, 9, por advogados de agentes negros do Serviço Secreto.   O relatório entregado na corte inclui 10 mensagens de e-mail que estavam entre documentos que a agência recentemente encaminhou para advogados de agentes negros, como parte de um processo por discriminação. As mensagens foram escritas de 2003 a 2005, e foram mandados de e para contas de e-mail de pelo menos vinte supervisores do Serviço Secreto americano.   A mensagens oferecem uma pequena visão da agência conhecida por proteger presidentes, mas que é considerada uma das mais isoladas culturalmente dentro do sistema executivo americano.   O episódio das mensagens vem em seguida de um incidente no mês passado, no qual uma corda com um laço foi encontrada em uma sala usada por um instrutor negro nas instalações do Serviço Secreto em Beltsville. O episódio está sob investigação interna.

Tudo o que sabemos sobre:
serviço secretoe-mailsracismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.