Economia supera Iraque no debate eleitoral dos EUA

Pesquisa mostra que eleitores deixaram conflito no Oriente médio em segundo plano e focam crise econômica

JEFF MASON, REUTERS

05 de janeiro de 2008 | 15h46

A guerra no Iraque, antes um assunto-chave nas eleições presidenciais dos Estados Unidos, está perdendo destaque para a economia, enquanto eleitores temem uma possível recessão e levam em conta a melhora das condições de segurança em Bagdá. Veja também: Hillary e McCain lideram em New HampshireObama e Huckabee saem na frente Vencedores rumam a New HampshirePara Obama, esperança jovens garantiu vitóriaDemocratas Biden e Dodd desistem da disputaPatrícia: o príncipe e a desolação branca Cobertura completa das eleições nos EUA Conheça os pré-candidatos  Pesquisas realizadas em Iowa, Estado que deu o pontapé inicial no processo eleitoral na quinta-feira, revelaram que as pessoas estão deixando a guerra para trás em sua lista de preocupações, depois que o aumento nas tropas dos EUA ajudou a acalmar as condições no Iraque, enquanto a situação econômica se deteriora nos EUA, colocando o foco nos problemas domésticos. "As pesquisas em Iowa certamente sugerem que o Iraque deixou de ser o principal tema da campanha, em parte porque a atuação (no Iraque) está dando certo e as mortes estão caindo, e em parte porque a economia está piorando", disse David Gergen, um ex-conselheiro para presidentes republicanos e democratas. "Os números mais recentes que saíram sobre o emprego (na sexta-feira)... estão sendo interpretados por investidores como outro sinal de que nós podemos estar caminhando rumo a uma recessão", disse ele à Reuters. Mas analistas políticos disseram ser arriscado afirmar quem se beneficia mais dessa situação, com os oposicionistas democratas auxiliados pelo fraco desempenho da economia, enquanto os republicanos podem se impulsionados pelas melhoras no Iraque. Barack Obama, senador de Illinois que pode ser o primeiro presidente negro dos EUA, venceu as prévias democratas em Iowa. Mike Huckabee, ex-governador de Arkansas e ministro ordenado da Igreja Batista, obteve a vitória pelo lado republicano. Ambos os resultados desagradaram os principais concorrentes de seus partidos. As vitórias de Obama e Huckabee ocorreram uma noite antes de um relatório ter mostrado o mais fraco crescimento do emprego nos EUA desde agosto de 2003, colocando a economia no centro da campanha. Eleitores através do país indicaram uma mudança em suas preocupações e o que eles acreditam que os candidatos a presidente podem fazer em relação a elas. "A guerra do Iraque me deu nojo, mas isso está além da minha capacidade. Em relação à economia, eu posso fazer algo a respeito", disse Zewge Tegegnework, 70 anos, um eleitor independente de Cincinnati que tende a votar nos democratas. "Eu estou preocupado com o desaquecimento da economia, pessoas perdendo a seguridade social", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAIRAQUEECONOMIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.