Editoriais dos EUA dizem que Iowa tem pouca representatividade

À medida que democratas erepublicanos se preparam para votar nos caucuses de Iowa nestaquinta-feira, alguns editoriais norte-americanos afirmaram queo Estado do meio-oeste tem pouca representatividade para ter umpapel de tanto destaque no processo da eleição presidencial dopaís. Jeff Greenfield, correspondente político da CBS News,escreveu na revista online Slate.com que os caucuses, nos quaiseleitores de Iowa se juntam para discutir e votar em seuscandidatos para a eleição de novembro de 2008, "violam algunsdos valores mais elementares de um vibrante e aberto processopolítico", ou seja, o voto secreto e o princípio de uma pessoa,um voto. No jornal Wall Street Journal, o residente de Iowa ejornalista freelancer Michael Judge reclamou que os caucusesencorajam candidatos a servir como instrumentos de práticasescusas aos residentes de Iowa, cujo porcentagem de nãocomparecimento chega a 90 por cento. A realização dos caucuses dão início ao processo de todosos Estados pelo qual democratas e republicanos selecionam seusindicados para a eleição presidencial de novembro. Menos de 250mil pessoas devem participar da votação nesta quinta-feira. Os vencedores podem esperar uma tremenda onda depublicidade e grandes contribuições que podem impulsionar suascampanhas no próximo e crucial estágio da campanha deindicações de candidatos. Os candidatos que tiverem maus resultados podem estar forada corrida presidencial em dias. Os indicados dos dois partidosdevem ser selecionados em meados de fevereiro. Defensores do sistema dizem que os cidadãos de Iowaparticipam com seriedade e forçam os candidatos a fazeremcampanhas pessoais ao invés de recorrerem a propagandas detelevisão. "Desculpe, mas isso não é suficiente", escreveu o SanFrancisco Chronicle em um editorial. "O sistema favorece entusiastas que tem tempo para ir aocaucus por várias horas, um processo que exclui pessoas comdeveres familiares, trabalhadores do mesmo horário, planos deviagens ou deficiências", disse o jornal. (Reportagem de Alan Elsner)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.