Bastiaan Slabbers/Reuters
Bastiaan Slabbers/Reuters

Eleições 2020: Democratas escolhem Biden em convenção virtual

’Green New Deal’ e união dos EUA na retomada econômica terão lugar central na estratégia do candidato

Redação, O Estado de S.Paulo

02 de agosto de 2020 | 05h00

O plano de recuperação econômica de US$ 700 bilhões que une incentivo à indústria americana (R$ 400 bilhões) a investimentos em novas tecnologias para enfrentar as mudanças climáticas (R$ 300 bilhões) será uma das estrelas da Convenção do Partido Democrata, ao lado dos candidatos à vice-presidência e à presidência dos Estados Unidos, Joe Biden. Ela está programada para começar no dia 17 e deve se estender até 20 de agosto.

É justamente uma resposta à crise econômica provocada pela pandemia de covid-19 - e, segundo os democratas, aumentada pela gestão negacionista de Donald Trump no combate ao novo coronavírus - uma das principais apostas dos democratas para reconquistar o voto de eleitores de estados-pêndulo, como Flórida, e de antigos Estados industriais e do Meio-Oeste, como Wisconsin, Michigan, Ohio e Pensilvânia, que se deixaram magnetizar pelo slogan make America great again de quatro anos atrás.

O governo Trump esteve bem longe de recuperar a antiga hegemonia inconteste americana, conquistada no dia seguinte ao fim da União Soviética, em 1991. Trump não impediu que a China continuasse a ganhar espaço no mundo - seis meses depois de sua posse, a o país asiático passou a contar com sua primeira base naval estrangeira, em Djibuti, na África. Sua política de se afastar de instituições multilaterais abriu mais espaço para a China projetar seu poder econômico, político e militar.

O boicote às novas energias, a acusação de abuso do uso do cargo em nome de seus interesses pessoais também devem ser lembrados pelos democratas na Convenção, que dizem que Trump coloca o País no rumo do atraso e do autoritarismo, dividindo os americanos, em vez de uni-los. A convenção democrata será em Milwaukee, Wisconsin.

O local foi estrategicamente escolhido - como sempre. Trata-se de uma grande cidade em um Estado em que o partido considera importante para a eleição - as últimas pesquisas indicam ali uma vantagem de sete pontos percentuais para Biden. Em razão da pandemia, no entanto, o evento foi radicalmente mudado. Biden estará em Milwaukee, mas seu discurso mudou para um lugar mais reservado. Por enquanto, os discursos dos demais líderes democratas serão feitos remotamente e as tradicionais festas organizadas pelo partido foram canceladas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.