Em Boston, Obama diz que EUA vão encontrar autores de atentado

O presidente dos EUA, Barack Obama, disse durante cerimônia em homenagem às vítimas do atentado em Boston que os Estados Unidos vão encontrar quem realizou o ataque que matou três pessoas na cidade, enquanto a polícia busca dois homens vistos em um vídeo da cena pouco antes das explosões.

TIM MCLAUGHLIN E MARK FELSENTHAL, Reuters

18 de abril de 2013 | 15h20

Obama disse que os norte-americanos não serão intimidados pelas explosões, que também deixaram 176 feridos no meio de uma multidão de milhares de pessoas que estavam na linha de chegada da famosa Maratona de Boston, na segunda-feira.

"Se eles tentaram nos intimidar, nos aterrorizar, abalar os nossos valores... que nos definem como americanos, deve ficar bastante claro agora que eles escolheram a cidade errada para fazer isso. Não aqui em Boston", disse Obama na cerimônia, nesta quinta-feira.

A polícia ainda não fez nenhuma prisão, mas Obama disse aos responsáveis pelo ataque: "Nós vamos encontrá-los e vocês vão enfrentar a Justiça".

A secretária de Segurança Interna dos EUA, Janet Napolitano, confirmou nesta quinta-feira em Washington que o FBI está procurando pessoas vistas em um vídeo feito perto da linha de chegada da corrida.

"Há algum vídeo que levantou a questão daqueles com quem o FBI gostaria de falar", disse Napolitano em audiência no Congresso. "Eu não os caracterizaria como suspeitos sob o termo técnico. Mas precisamos da ajuda do público para encontrar essas pessoas."

O atentado em Boston colocou os norte-americanos sob tensão e a segurança foi reforçada nas principais cidades dos Estados Unidos.

Correspondências endereçadas a Obama e a duas autoridades federais, que testes preliminares indicaram conter o veneno letal ricina, lembraram a população dos ataques pelo correio com antraz após os atentados de 11 de setembro de 2001 com aviões sequestrados.

A cerimônia em homenagem às vítimas ocorreu um dia depois de o FBI ter prendido um homem no Mississippi por ligação com as cartas. O FBI disse que não havia nenhuma indicação de conexão entre as cartas com ricina e o ataque em Boston.

Em um incidente separado na quarta-feira, uma explosão em uma fábrica de fertilizantes no Texas matou até 15 pessoas. As autoridades ainda não sabem o que causou a explosão.

Obama também deve se reunir com as famílias das vítimas do atentado e com socorristas em Boston, disse um porta-voz da Casa Branca a jornalistas a bordo do Air Force One.

O prefeito de Boston, Tom Menino, o governador de Massachusetts, Deval Patrick, e o cardeal Sean O'Malley também falaram durante a cerimônia. O ex-governador de Massachusetts e candidato presidencial republicano em 2012, Mitt Romney, também compareceu.

MULTIDÃO DO LADO DE FORA DE CATEDRAL

Do lado de fora da Catedral de Santa Cruz, a cerca de 1,6 km do local das explosões, centenas de pessoas se aglomeravam e policiais estavam do lado de fora de suas viaturas ouvindo o discurso de Obama pelo rádio.

"O presidente Obama sabe o quão importante é a cidade de Boston para a nação e para o mundo", disse John Snyder, de 55 anos, que chegou ao local antes do amanhecer. "Ele está trazendo a sua luz para nós, para uma cura muito necessária."

Os investigadores acreditam que as bombas de Boston foram montadas com panelas de pressão repletas de estilhaços. Dez vítimas tiveram membros amputados e os médicos informaram que tiveram de arrancar pregos e esferas de metal dos feridos.

A polícia pensou em fazer um apelo ao público pedindo por mais informações em uma entrevista coletiva na quarta-feira, disse uma fonte do governo, mas o FBI cancelou a entrevista após uma série de atrasos.

O atentado matou um menino de 8 anos de Boston, uma mulher de 29 anos de uma cidade próxima e uma estudante chinesa de pós-graduação da Universidade de Boston.

Antes da visita, Obama declarou estado de emergência em Massachusetts, uma medida que facilita o financiamento federal à disposição do Estado em consequência do atentado.

(Reportagem adicional de Deborah Charles, Mark Hosenball e Roberta Rampton; em Washington)

Tudo o que sabemos sobre:
EUABOSTONHOMENAGEMOBAMA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.