Chris Carlson/AP
Chris Carlson/AP

Em homenagem às vítimas do Arizona, Obama pede união aos americanos

Presidente americano revela que a democrata Gabrielle Gifford pela primeira vez abriu os olhos

Estadão.com.br,

13 de janeiro de 2011 | 00h28

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, participou nesta quarta-feira, 12, de uma cerimônia em homenagem às vítimas do atentado de sábado, em Tucson, no Arizona, onde seis pessoas morreram e a deputada democrata Gabrielle Giffords ficou seriamente ferida. Obama fez um apelo à união do país contra diferenças políticas.

Veja também:

linkSarah Palin critica vínculação de retórica política a tiroteio no Arizona

"Podemos ser melhores. As forças que nos dividem não são tão fortes quanto as que nos unem", disse o presidente em evento na Universidade do Arizona, em Tucson. "Não podemos usar essa tragédia para nos virar uns contra os outros".

Antes da cerimônia, o presidente visitou a deputada ferida no hospital da universidade. Durante o discurso, Obama disse que Gabrielle, pela primeira vez, abriu os olhos.

Em um discurso bastante emocionado, o presidente lamentou o ataque. "Vim aqui esta noite como um americano que, como todos os outros, reza com vocês hoje e lutará por vocês amanhã.", disse." Não há nada que eu possa fazer para curar a dor, mas as esperanças da nação estão aqui hoje".

Obama ainda homenageou cada uma das seis vítimas mortas no ataque. Sobre a menina de nove anos morta no tiroteio (Christina Taylor Green), o presidente disse que todos os americanos a reconhecem em seus próprios filhos.

O presidente também elogiou um dos assessores da deputada, Daniel Hernandez, que arriscou a vida para interromper o atirador e evitar um massacre maior.

Antes do presidente, discursaram a governadora do Arizona, a republicana Jan Brewer e a secretária de Segurança Interna, Janet Napolitano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.