Embaixador dos EUA deixa reunião da AIEA em protesto contra o Irã

O embaixador dos EUA junto à Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) abandonou uma reunião na quarta-feira depois que o seu colega iraniano acusou Israel de cometer "genocídio", segundo diplomatas.

Reuters

06 de março de 2013 | 20h37

Representantes do Canadá e Austrália também deixaram a reunião a portas fechadas do conselho da AIEA, em protesto contra a declaração do embaixador iraniano, Ali Asghar Soltanieh, proferida durante um debate sobre a Síria, segundo fontes.

Os diplomatas mais tarde regressaram para a reunião da AIEA, onde esse tipo de protesto é raro.

Soltanieh não foi localizado imediatamente para comentar o caso. O governo do Irã habitualmente critica as políticas de Israel com relação aos palestinos, e já ameaçou eliminar Israel "da face da Terra" se o Estado judeu atacar a República Islâmica.

Horas antes do incidente, o embaixador dos EUA na AIEA, Joseph Macmanus, havia acusado o Irã de ter "um compromisso com a enganação, o desafio e o adiamento" ao não esclarecer dúvidas da AIEA sobre o seu programa nuclear.

Os EUA e seus aliados suspeitam que o Irã esteja desenvolvendo armas atômicas, o que Teerã nega.

(Por Fredrik Dahl)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAIRAPROTESTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.