Envolvido em crime polêmico deixa prisão nos EUA

O ex-vigilante voluntário George Zimmerman, acusado de matar um adolescente desarmado em um caso de grande repercussão e conotações raciais, deixou nesta sexta-feira uma prisão da Flórida, após o juiz do caso impor uma fiança de 1 milhão de dólares, segundo autoridades locais.

BARBARA LISTON, Reuters

06 de julho de 2012 | 20h32

Zimmerman vai usar um dispositivo eletrônico de monitoramento, e deve se instalar em um abrigo temporário escolhido por seu advogado. Os termos da sua liberdade condicional são bem mais rígidos do que na primeira vez em que ele foi solto, em abril, porque o juiz entendeu que há risco de fuga.

O site oficial de Zimmerman disse que um fundo financeiro criado em prol dele arrecadou 20 mil dólares em 24 horas.

O caso teve grande repercussão nos Estados Unidos porque a polícia inicialmente se negou a deter Zimmerman, acatando a tese de que ele matou o adolescente negro Trayvon Martin porque considerou que sua vida e sua propriedade estavam sob ameaça.

Depois de ser solto em abril, pagando fiança de 150 mil dólares, Zimmerman voltou a ser detido, porque a promotoria o acusou de ter mentido sobre suas finanças e deixado de apresentar um passaporte válido. Ele pode ser condenado a 25 anos de prisão.

(Reportagem adicional de Jane Sutton e Kevin Gray, em Miami; e de Kathy Finn, em Nova Orleans)

Mais conteúdo sobre:
EUACASOTRAYVONLIBERTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.