Escola da Flórida vai retirar nome de líder do Ku Klux Klan

Uma escola de ensino médio da Flórida cujo nome homenageia um líder do grupo em defesa da supremacia branca Ku Klux Klan, conhecido por conduzir linchamentos e outros atos de violência contra negros, deve mudar de nome, disseram autoridades.

ERIC M. JOHNSON, Reuters

17 de dezembro de 2013 | 12h18

A Nathan Bedford Forrest High School, na cidade de Jacksonville, Flórida, fundada há 54 anos, vai retirar o nome do primeiro grande líder do Ku Klux Klan de sua designação a partir do início do próximo ano escolar, em agosto. Um novo nome será proposto em janeiro.

"Nós reconhecemos que não podemos nem queremos apagar a história", disse Constance Hall, integrante do conselho da escola no condado de Duval, onde mais da metade dos estudantes são negros.

"Por tempo demais, nosso nome representou o oposto de unidade, respeito e igualdade", disse Hall em comunicado.

Originado nos tempos da guerra civil dos EUA, o Ku Klux Klan há muito tem sido associado a cavaleiros encapuzados e vestidos em túnicas brancas que assolavam os negros com linchamentos, cremação em cruzes e outros atos violentos.

A mudança de nome na escola da Flórida ocorre após incidentes que provocaram o aumento na tensão racial no Estado do sul dos EUA.

Em julho, o ex-guarda comunitário George Zimmerman foi inocentado da acusação de ter matado o adolescente negro desarmado Trayvon Martin em 2012, na região central da Flórida.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAESCOLAKUKLUXKLAN*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.