Esconderijo de Bin Laden tinha coleção de pornografia, dizem EUA

Não está claro se o material era usado na internet, nem quando ou por quem foi adquirido

Reuters

13 de maio de 2011 | 14h58

WASHINGTON - Uma coleção de pornografia foi encontrada no esconderijo de Osama bin Laden pelas forças dos EUA que o mataram, disseram autoridades do governo americano na sexta-feira, 13. O material encontrado no complexo do terrorista em Abbottabad, Paquistão, inclui vídeos modernos registrados eletronicamente e é bastante extenso, de acordo com os funcionários, que falaram à Reuters sobre a descoberta sob a condição de anonimato.

 

Veja também:

especialAs franquias da Al-Qaeda

especialA trajetória de Osama bin Laden

especialPasso a passo da caçada a Bin Laden

Os funcionários disseram que ainda não tinham certeza sobre o local exato em que a coleção de pornografia estava ou quem a estava usando. Eles afirmaram que não sabiam se Bin Laden havia adquirido ou visto o material.

Relatos vindos Abbottabad davam conta de que o complexo de Bin Laden não tinha conexão de Internet ou outras redes de comunicação a cabo. Não está claro como os residentes do composto teriam adquirido a pornografia.

Mas um vídeo divulgado pelo governo de Barack Obama confiscado no local mostra Bin Laden assistindo a imagens de si mesmo em uma tela de TV, indicando que o complexo tinha equipamentos de reprodução de vídeo.

Materiais retirados do complexo pelos comandos dos EUA incluem drives digitais, que, segundo autoridades norte-americanas, devem ter sido o principal meio pelo qual as mensagens eletrônicas eram transmitidas para o líder da Al Qaeda.

Três outras autoridades dos EUA que conhecem provas recolhidas durante investigações de outros militantes islâmicos disseram que a descoberta de pornografia não é incomum nesses casos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.