Estados Unidos criticam teste de míssil norte-coreano

Casa Branca diz que Coréia do Norte deve enviar relatório completo de todas atividades nucleares

BBC,

28 de março de 2008 | 17h52

O governo dos Estados Unidos declarou nesta sexta-feira, 28, que o teste de míssil da Coréia do Norte "não foi construtivo", e pediu urgência à Pyongyang no desmantelamento de seu programa nuclear. Um porta-voz da Casa Branca, Gordon Johndroe, disse que o país deve se focar no desarmamento nuclear da península coreana e enviar um relatório completo e correto de todas as suas atividades nucleares", segundo a BBC.   Veja também: Coréia do Norte aumenta tensão com lançamento de mísseis 'Paciência com Pyongyang está acabando', diz Coréia do Sul   Nesta sexta-feira, a Coréia do Norte testou uma bateria de mísseis de curto alcance, numa ação considerada por analistas como aparente reação à políticas dos EUA e à eleição de um novo governo conservador na Coréia do Sul.   O teste aconteceu um dia após a Coréia do Norte ter expulsado autoridades sul-coreanas de um complexo industrial conjunto ai norte da fronteira, depois que Seul exigiu que o vizinho comunista melhore a situação dos direitos humanos e acelere o desarmamento nuclear.   O porta-voz americano reafirmou ainda que Pyongyang precisa "cumprir o acordo de desarmamento", firmado em 2007. No pacto, a Coréia do Norte se comprometia a inutilizar seu reator nuclear em Yongbyon e a fornecer uma lista completa de suas atividades atômicas. O prazo para entregar essa lista, porém, terminou no final do ano passado, sem que o regime norte-coreano tivesse cumprido a promessa.   O descumprimento por parte da Coréia do Norte causou a estagnação das conversas de seis lados, das quais participam as duas Coréias, Estados Unidos, Rússia, Japão e China, para oferecer incentivos diplomáticos e econômicos a Pyongyang em troca de que o país renuncie a seu programa de armamento nuclear.

Tudo o que sabemos sobre:
Coréia do NorteEUAprograma nuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.