Estados Unidos endurecem controle sobre imigrantes

Empresas que empregam imigrantes ilegais estão sujeitas a multas 25% mais altas, atingindo cerca de R$ 24,3 mil

BBC,

11 de agosto de 2007 | 08h40

Nova medidas anunciadas pelo governo americano, nesta sexta-feira, 10, tornam mais duras as ações contra empresas que empregam imigrantes ilegais. Pelas novas regras, os empregadores que forem interrogados sobre o status legal de seus funcionários terão prazo de 90 dias para provar que eles residem legalmente nos Estados Unidos ou, caso contrário, demiti-los.  Empregadores que não se adaptarem às novas regras estarão sujeitos a multas de até US$ 12,5 mil (cerca de R$ 24,3 mil), um aumento de 25% em relação às multas aplicadas atualmente. Também poderão ter de responder à Justiça por crime. Segundo o secretário de Segurança Interna dos Estados Unidos, Michael Chertoff, o governo foi obrigado agir, já que a ampla reforma nas leis de imigração pretendida pelo presidente George W. Bush ainda não passou no Congresso. "Nossa esperança é de que pontos importantes do projeto de lei no Senado sejam implementados algum dia. Mas até que o Congresso resolva agir, nós vamos tomar algumas medidas enérgicas por conta própria", afirmou o secretário. O polêmico projeto de lei abriria a possibilidade de que alguns dos 12 milhões de imigrantes ilegais que vivem nos Estados Unidos obtivessem cidadania americana. Opositores criticaram a proposta por significar "anistia" a pessoas que haviam violado a lei. É pouco provável que os senadores votem a proposta antes das eleições presidenciais do ano que vem, quando será escolhido o sucessor de Bush. Os Estados Unidos já haviam aumentado o cerco às empresas que utilizam mão-de-obra ilegal. Também cresceu o número de investigações criminais sobre empregadores. No entanto, para o secretário de Comércio dos EUA, Carlos Gutierrez, essas iniciativas não vão conseguir reprimir a imigração ilegal. "Nós não temos os trabalhadores necessários para que nossa economia continue crescendo a cada ano (...). No final, o Congresso terá de aprovar uma ampla reforma nas leis de imigração", afirmou Gutierrez. Segundo analistas, essas novas medidas serão sentidas principalmente em setores como agricultura e construção, que empregam boa parte dos imigrantes ilegais nos Estados Unidos.

Tudo o que sabemos sobre:
Imigrantes ilegaisEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.