Mike Roemer/AP
Mike Roemer/AP

Estudante faz 24 reféns em instituto nos EUA e tenta suicídio

Após negociação, sequestrador libertou colegas e professora; seu estado de saúde é desconhecido

Efe

30 de novembro de 2010 | 03h04

WASHINGTON - O estudante que na segunda-feira, 29, fez reféns 23 alunos e uma professora de um instituto de Marinette, em Wisconsin (EUA), tentou se suicidar com um disparo depois de todos os sequestrados terem sido libertados, informaram as autoridades locais.

O estudante de 15 anos, cuja identidade não foi revelada, tinha duas armas de fogo e apertou o gatilho assim que a polícia entrou na classe para detê-lo, após cinco horas de sequestro.

O jovem, que foi o único ferido no incidente, foi levado a um hospital da região, mas por enquanto se desconhece seu estado de saúde, segundo a imprensa local.

Pouco antes, todos os reféns haviam sido libertados. Cinco alunos escaparam após dizerem ao sequestrador que precisam ir trabalhar, e o restante foi libertado quando a polícia invadiu a sala de aula onde os 24 eram mantidos reféns.

A polícia contou com a mediação da professora do instituto para estabelecer contato com o sequestrador, disse previamente o chefe das forças de segurança, Jeff Skorik.

As autoridades interrogaram os pais do estudante, mas, de acordo com Skorik, eles não sabem por que seu filho agiu desta forma.

A polícia foi chamada ao local após receber um alerta sobre um estudante armado que tinha tomado uma sala de aula e feito alunos reféns.

Um amigo da família do sequestrador descreveu o estudante como "uma das crianças mais encantadoras" que conheceu e que, apesar de ter "alguns problemas no colégio", não sabe por que o jovem tomou esta atitude.

 

Texto atualizado às 04h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.