Estudante fere 21 a facadas em escola nos Estados Unidos

Um estudante de 16 anos munido de duas facas percorreu os corredores de uma escola de ensino médio em uma região de Pittsburgh esfaqueando pessoas no início desta quarta-feira e feriu 21 delas, cerca de metade gravemente, informaram as autoridades.

ELIZABETH DALEY, Reuters

09 de abril de 2014 | 17h07

O agressor se moveu sorrateiramente pela escola Franklin Regional, esfaqueando suas vítimas no peito e cortando braços e rostos antes que qualquer um percebesse o que estava acontecendo, relataram estudantes e autoridades. Alguns dos feridos levados a hospitais próximos se encontram em estado crítico, disseram médicos.

Os estudantes descreveram uma cena de pânico. A escola foi esvaziada rapidamente depois que um alarme de incêndio foi acionado. O aluno de segundo ano suspeito pelo ataque está sob custódia da polícia, disse Tom Seefeld, chefe policial de Murrysville, na Pensilvânia.

Os ataques começaram perto das 7h13 no horário local (8h13 no horário de Brasília) em várias salas de aula e corredores da escola em Murrysville, 32 quilômetros a leste de Pittsburgh, informaram as autoridades.

Um segurança armado dominou e prendeu o agressor, descrito por uma colega de classe como uma pessoa quieta, com a ajuda do diretor, disse Seefeld.

O calouro Josh Frank disse que inicialmente não percebeu que alguém tinha sido esfaqueado, mas fugiu quando ouviu gritos.

"Ele foi tão sorrateiro no começo que ninguém sabia o que estava acontecendo", afirmou Frank. "Ouvimos uma garota gritar horrivelmente. Depois dois veteranos correram pelo corredor e os seguimos para fora da escola".

Um total de 21 pessoas, a maioria tendo entre 14 e 17 anos, foram transportadas para hospitais da região, quatro de helicóptero. Várias sofreram ferimentos que podem ser fatais, e nove se encontram em estado crítico, alertaram autoridades médicas.

Os médicos disseram que uma estudante ajudou a salvar um colega fazendo pressão em sua ferida até a chegada de socorro médico.

"Ela demonstrou uma compostura incrível para ajudar o amigo, que estava sangrando bastante naquele momento", disse o doutor Mark Rubino, do Hospital Regional Forbes.

O suspeito também estava sendo tratado de ferimentos nas mãos, declarou Seefeld.

O governador da Pensilvânia, Tom Corbett, disse ter ordenado que a polícia estadual ajude a polícia local na reação ao incidente. O FBI também disse ter destacado agentes para trabalhar com as forças de segurança locais.

(Reportagem adicional de Jonathan Allen em Nova York, Dave Warner em Filadélfia e Brendan O'Brien em Milwaukee)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAATAQUEFACA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.