EUA acusam formalmente suspeitos de integrar cartel mexicano

Quinze suspeitos de integrar a La Família foram presos; penas podem variar de 10 anos a prisão perpétua

estadao.com.br,

20 Novembro 2009 | 17h22

A Justiça dos EUA acusou formalmente nesta sexta-feira, 20, quinze supostos membros da organização mafiosa La Família de controlar um núcleo de distribuição de drogas em Chicago, segundo informou o Departamento de Justiça, de acordo com a agência AFP.

 

As acusações formais ante a justiça ocorrem após uma operação realizada em agosto, nas qual agentes do Departamento Antidrogas dos EUA (DEA, na sigla em inglês), apreenderam 250 quilos de cocaína e cerca de US$ 8 milhões.

 

Os quinze suspeitos foram acusados por conspiração para possuir e distribuir grandes quantidades de cocaína, o que pode gerar penas entre 10 anos e prisão perpétua, enquanto as autoridades tentam recuperar cerca de US$ 20 milhões vindos do comércio de drogas desse grupo. Segundo a acusação, os suspeitos estavam em contato com membros da La Família no México, com quem coordenavam a distribuição da droga na área de Chicago.

 

A última operação contra o cartel ocorreu pelo "Projeto Coronado", que segundo as autoridades americanas, capturou em pouco menos de quatro anos quase 1.200 pessoas envolvidas com o narcotráfico e quase 12 toneladas de drogas.

 

Em outubro, na maior operação contra os cateis mexicanos, corpos de segurança dos EUA prenderam 303 suspeitos de integrar a La Família, considerada a mais nova e sangrenta máfia de narcotráfico no país.

Mais conteúdo sobre:
drogas narcotráfico México EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.