EUA acusam iraniano e chinês de conspiração nuclear

Investigadores norte-americanos acreditam que dois homens acusados de conspirar para enviar materiais ao Irã via Hong Kong e China tentavam adquirir equipamentos e produtos usados para construir centrífugas de enriquecimento de urânio, disse nesta sexta-feira uma autoridade.

Reuters

13 de julho de 2012 | 21h55

Os materiais e componentes que os suspeitos tentavam obter incluíam "tudo o que se necessita para construir centrífugas de gás para enriquecimento de urânio", disse a autoridade à Reuters.

Pelo menos parte dos materiais procurados pelos suspeitos, identificados como o iraniano Parviz Khaki e Zhongcheng Yi, residente na China, foi eventualmente enviada a compradores no Irã, explicou.

Mas os investigadores não estão certos sobre quanto deste material chegou ao Irã.

Um júri federal acusou os dois homens de conspirar para enviar materiais dos Estados Unidos ao Irã que poderiam ser usados em programas nucleares na República Islâmica, disse nesta sexta-feira o Departamento de Justiça.

O departamento acrescentou que Khaki foi preso nas Filipinas em maio, mas que Yi permanece foragido.

Os materiais foram comprados de empresas norte-americanas, sem que os homens revelassem seu destino. Tampouco tinham as licenças de exportação exigidas para envios a países como Irã, alvo de sanções dos Estados Unidos.

(Reportagem de David Ingram e Mark Hosenball)

Mais conteúdo sobre:
EUAIRACHINA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.