EUA afirmam ter desativado suposta bomba a ser usada em avião

O FBI está investigando um explosivo que poderia ter sido usado num atentado suicida contra um avião comercial, e que foi apreendido numa operação realizada por autoridades dos Estados Unidos e de países aliados, disseram autoridades norte-americanas na segunda-feira.

REUTERS

07 Maio 2012 | 19h50

Um funcionário graduado disse que aparentemente o explosivo foi produzido pela Al Qaeda da Península Arábica, que opera a partir do Iêmen.

Separadamente, no entanto, o Departamento de Segurança Doméstica disse que não haver nenhum plano de atentado contra os EUA em estágio ativo no momento.

De acordo com as autoridades, nenhum avião chegou a estar em risco. A bomba, disseram elas, seria um modelo modernizado do dispositivo usado pelo chamado "terrorista da cueca", que tentou sem sucesso explodir um avião com destino a Detroit no Dia de Natal de 2009. Aquele plano havia sido preparado no Iêmen.

O presidente Barack Obama foi informado sobre o novo caso em abril, e recebeu atualizações regulares, segundo Caitlin Hayden, porta-voz adjunta do Conselho de Segurança Nacional.

Sob anonimato, um funcionário de contraterrorismo disse que "esse dispositivo tem todas as marcas de tentativas anteriores de explosões da AQPA (Al Qaeda na Península Arábica)".

"O complô foi desbaratado bem antes de ameaçar aliados dos EUA", acrescentou a fonte.

O FBI disse estar de posse da suposta bomba, realizando análises técnicas e forenses.

"A exploração inicial indica que o dispositivo é muito similar aos IED (explosivos improvisados) usados previamente pela AQAP em tentativas de ataques terroristas, inclusive contra aviões e em assassinatos dirigidos", disse o FBI em nota.

(Reportagem de Tabassum Zakaria e Mark Hosenball)

Mais conteúdo sobre:
EUA AVIAO BOMBA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.