EUA anunciam apoio às eleições em Honduras

Após acordo, subsecretário de Obama diz que Casa Branca acompanhará as eleições de 29 de novembro

estadao.com.br,

30 de outubro de 2009 | 07h56

O subsecretário de Estado americano para a América Latina, Thomas Shannon, anunciou nesta sexta-feira, 30, (hora de Brasília) que os Estados Unidos apoiarão as eleições de novembro em Honduras, após o presidente Roberto Micheletti e o líder deposto Manuel Zelaya terem chegado a um acordo.

 

"Eles (os negociadores) são heróis da democracia hondurenha", afirmou Shannon. "Os EUA vão acompanhar Honduras em suas eleições de 29 novembro", disse o subsecretário à imprensa, depois de anunciar a assinatura do acordo entre as comissões de Zelaya e Micheletti para que o Congresso decida sobre a volta do líder deposto ao poder.

 

O diplomata americano assegurou que não se lembra de ter visto nas Américas um outro país que tenha enfrentado o tipo de crise que Honduras enfrentou e que tenha conseguido sair dela com "negociações, sem imposições e sem violência". "É um grande momento para Honduras, o povo hondurenho deve estar orgulhoso do que os hondurenhos conseguiram neste momento", disse.

 

Após qualificar de "histórico" o trabalho das equipes negociadoras de Zelaya e Micheletti e louvar a "liderança política" de ambas, Shannon mostrou seu reconhecimento ao papel desempenhado pela Organização dos Estados Americanos (OEA) e outros membros da comunidade internacional. "Especialmente o presidente da Costa Rica, Oscar Arias, que começou essas negociações em San José", ressaltou.

 

"A ajuda internacional criou um contexto, mas o trabalho foi um trabalho de hondurenhos e eu quero mostrar minha admiração pela vocação democrática do povo hondurenho", acrescentou.

 

A pedido da secretária de Estado Hillary Clinton, Shannon foi ao país acompanhado de Dan Restrepo, responsável por Hemisfério Ocidental na Casa Branca. Eles estenderam a visita a pedido de autoridades hondurenhas. Hillary elogiou o acordo destinado a encerrar quatro meses de crise política em Honduras. "Quero parabenizar o povo de Honduras, bem como o presidente Zelaya e o senhor Micheletti por terem chegado a um acordo histórico", disse Hillary no Paquistão, onde realiza uma visita oficial.

Tudo o que sabemos sobre:
HondurasEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.