EUA anunciam remoção da Rússia de programa de benefícios comerciais

O presidente norte-americano, Barack Obama, deu ao Congresso um aviso oficial nesta quarta-feira de que tem planos para retirar a Rússia de um programa que permite a importação de certos bens com isenção de impostos, conhecido como Sistema Geral de Preferências (GSP, na sigla em inglês), informou a Casa Branca.

Reuters

07 Maio 2014 | 18h01

Atualmente, o programa está aguardando uma reautorização do Congresso. Quando isso acontecer, os EUA deixarão de permitir que as mercadorias provenientes da Rússia, tais como matérias-primas, aço, pneus e cerâmicas, entrem no país sem a incidência de impostos.

Em vez disso, os produtos estarão sujeitos às tarifas normais, que giram em torno de 3 por cento, disse um porta-voz da representação comercial dos EUA.

A Rússia está "suficientemente avançada economicamente" e não precisa mais de tratamento especial, segundo a Casa Branca.

"As ações da Rússia sobre a Ucrânia, embora não diretamente relacionadas com a decisão do presidente sobre a elegibilidade da Rússia para os benefícios do GSP, tornam essa medida particularmente apropriada para este momento", disse a porta-voz do Conselho Nacional de Segurança da Casa Branca, Caitlin Hayden, por e-mail.

Em 2012, os Estados Unidos importaram 544 milhões dólares em bens da Rússia no âmbito do programa GSP, o que representa cerca de 2 por cento do total das suas importações do país.

(Reportagem de Roberta Rampton e Mark Felsenthal)

Mais conteúdo sobre:
EUA RUSSIA RETIRA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.