EUA buscam usar bases aéreas na Espanha em operação contra Ebola na África

Os Estados Unidos pediram ao governo espanhol permissão para usar as bases aéreas norte-americanas na Espanha em sua operação para combater a crise do Ebola na África, disse uma fonte do Ministério da Defesa em Madri, nesta quinta-feira.

REUTERS

16 de outubro de 2014 | 09h04

"As autoridades dos EUA, de fato, solicitaram à Espanha permissão para usar suas bases no país como um ponto de trânsito para a logística e engenheiros que estão construindo hospitais de campanha na Libéria e na Serra Leoa", disse a fonte à Reuters.

O governo espanhol deve concordar com o pedido, disse ele.

"Nenhum dos aviões vai transportar pacientes ou pessoas com suspeita de ter contraído o Ebola, ou que tenham estado em contato com pessoas infectadas", afirmou. "A Espanha terá o direito de inspeccionar os aviões e os passageiros."

Os Estados Unidos estão enviando cerca de 4.000 soldados para a África Ocidental para ajudar a conter o pior surto da doença registrado até hoje.

A decisão deverá ser anunciada na sexta-feira, quando o ministro da Defesa espanhol, Pedro Morenes, se encontrar com o secretário de Defesa dos EUA, Chuck Hagel, em Washington.

Os Estados Unidos têm quatro bases na Espanha: em Morón de la Frontera, perto de Sevilha, e Rota, perto de Cádiz, ambas no sul da Espanha, Torrejón de Ardoz, perto de Madri, e Zaragoza, no norte.

Cerca de 4.500 pessoas morreram por causa do surto da doença, quase todos eles na África Ocidental.

A Espanha foi lançada na linha de frente da crise quando uma enfermeira espanhola em Madri se tornou a primeira pessoa a contrair a doença fora da África Ocidental.

(Reportagem de Julien Toyer)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAESPANHABASESEBOLA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.