EUA cancelam acordo de cooperação nuclear com a Rússia

Medida é a primeira sanção pela incursão na Geórgia; plano previa desenvolvimento de energia nuclear

Agências internacionais,

08 de setembro de 2008 | 14h42

Os Estados Unidos cancelaram um acordo de cooperação nuclear civil com a Rússia. O anúncio foi feito nesta segunda-feira, 8, pelo Departamento de Estado, como primeira sanção contra Moscou por sua ofensiva militar na Geórgia. "O presidente (George W. Bush) notificou o Congresso que rescindiu hoje sua decisão anterior com relação ao acordo entre EUA e Rússia para a cooperação nuclear pacífica", assinalou o Departamento de Estado em comunicado.   Veja também: Rússia e UE definem acordo para retirada de tropas da Geórgia Rússia confirma exercícios navais com a Venezuela Entenda o conflito separatista na Geórgia   Considerava-se improvável que o acordo de cooperação nuclear ganhasse a aprovação do Congresso americano ainda este ano, mas Bash decidiu tirar o tema da pauta. "Nós tomamos essa decisão com pesar", declarou a secretária de Estado americana Condoleezza Rice, em comunicado lido pelo porta-voz Sean McCormack. "Infelizmente, devido ao clima atual, essa não é a hora certa para o acordo."   O plano, enviado ao Congresso em maio depois de dois anos de complicadas negociações, previa uma cooperação ampla e sem precedentes entre os dois países com relação ao desenvolvimento da energia nuclear com fins civis.   Segundo McCormack, o governo americano informou à Rússia sobre a decisão de Bush na última semana, por meio de sua embaixada em Moscou. A determinação do líder ameircano acontece dentro do processo de reavaliação das relações com a Rússia, que os EUA iniciaram pouco depois das tropas de Moscou invadirem a Geórgia no início de agosto por uma disputa sobre a região separatista da Ossétia do Sul.   Washington, que diz avaliar sanções contra a Rússia, considera a ofensiva russa no Cáucaso inaceitável e um desafio à soberania e integridade territorial da Geórgia. Rice, no entanto, havia afirmado que ainda não havia chegado o momento de dar início as restrições.   O governo americano acredita que Moscou descumpriu os termos do plano de cessar-fogo do confronto na Geórgia, promovido pela França em nome da União Européia.  

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaEUAGeórgia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.