EUA condenam advogada a dez anos de prisão por ajudar terrorista

Lynne Stewart, de 70 anos, ajudou seu cliente a difundir mensagens para organização terrorista

Reuters,

15 de julho de 2010 | 19h50

NOVA YORK- Uma advogada novaiorquina que ajudou um suspeito de terrorismo a enviar mensagens a seus seguidores radicais da penitenciária foi condenada nesta quinta-feira, 15, a dez anos de prisão.

 

Lynne Stewart, de 70 anos, está presa desde novembro, depois de ter sido inicialmente condenada a 28 meses de reclusão por ter ajudado seu cliente, o clérigo egípcio Omar Abdel-Rahman, a contatar o Grupo Islâmico, considerado pelos Estados Unidos como uma organização terrorista.

 

Abdel-Rahman foi culpado em 1995 por conspirar para atacar a sede da ONU e outros edifícios em Nova York em seguida aos ataques a bomba de 1993 no World Trade Center.

 

Lynne foi considerada culpada por um júri em julho de 2005 e condenada em 2006, mas sua primeira sentença foi apelada porque promotores queriam que ela cumprisse uma pena maior, de 15 a 30 anos.

 

Durante a audiência desta quinta, o juiz responsável tomou nota da idade de Stewart, sua luta contra um câncer no seio e a improbabilidade dela vir a repetir o crime cometido. Ele também destacou o comprometimento da advogada em servir clientes pobres e impopulares.

 

No entanto, a acusação afirmou que Lynne apoiou deliberadamente e conscientemente "os esforços de Abdel-Rahman para continuar a liderar o Grupo Islâmico de sua cela."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.